Olá meus amigos tem 03 dias que não venho dormindo bem, pois descobrir que a Gabi está com Sapinho, comecei  a perceber que algo ia errado quando ela começou a  ficar irritadinha do nada, no primeiro dia pensei que fosse o dente, depois o calor pois por aqui está demais, mais não era simplesmente ela não dormia e eu não entendia até que
quando ela apagou em meus braços e observei que sua língua estava muito branquinha, no segundo dia estava com bolhas também, pronto a mamãe aqui foi direto para a net e batata seria mesmo o que suspeitei o popular Sapinho, como era domingo só pude leva-la na segunda, resultado antibiótico e pomada para o tratamento pois a garganta também estava inflamada a Gabi estava com Estomatite no popular “sapinho”
.
SAPINHO

Sapinho, Estomatite em Bebes Minha filha Teve Como Tratar

Mais o que é Sapinho = Estomatite

É uma infecção fúngica
bucal, causada por um fungo semelhante a uma levedura, Candida albicans, que também pode provocar assadura e vaginite. O sapinho é geralmente visto em crianças com menos de seis meses. Em crianças mais velhas, é muito menos comum e sua ocorrência pode indicar uma doença grave, como uma deficiência imunológica.O sapinho aparece como pontos brancos, escamosos, semelhantes a queijo, que cobrem toda ou parte da língua e das gengivas, a parte interna das bochechas e, às vezes, os lábios. Esses pontos não saem facilmente. Quando se cutuca ou arranha esses pontos, forma-se uma área vermelha e inflamada que pode sangrar. Os coalhos de leite parecem sapinho, mas saem facilmente sem deixar a área machucada. Geralmente não causa maiores complicações, mas deve ser tratado
para evitar uma infecção longa e crônica.
Sapinho, Estomatite em Bebes Minha filha Teve Como Tratar

Pode causa

Febre;
Falta de apetite
Esbranquiçado na língua e nas gengivas;
Inflamação na garganta;
Irritabilidade e dor;

Tratamento

O medicamento mais comumente receitado para sapinho é um anti-fúngico líquido, como nistatina, dado quatro vezes ao dia, até que a infecção seja debelada.
Dicas se for gotas use um conta-gotas ou seringa, se for pomada e o bebê ainda mama coloque diretamente nos seios antes da mamada, cuidados como a Nistatina contem muito açúcar evitar o uso prolongado pois provoca caries, no caso aqui será por 7 dias, caso o bebê esteja com muita dor um analgésico pode ser muito útil, outra dica para ajudar a violeta  é uma tinta roxa ou o bicarbonato de sódio
 Dissolver uma colher das de café em ¼ de litro de água (250ml) e aplicar com um
cotonete, ou com o dedo envolvido em gaze, na boca do bebê.

Recomendações Gerais

Não tente raspar ou tirar o sapinho da boca do seu filho. Você o machucará e deixará uma área inflamada, possivelmente em carne viva e sangrando.Um colutório de lactobacilo pode ser útil. Misture 1/8 de colher de chá de um suplemento de lactobacilo em ½ xícara de água. Usando um conta-gotas, esguiche a solução nas gengivas, língua e partes internas da boca do seu filho.Limpe a boca e a gengiva do bebê com bicarbonato de sódio.
Sempre consulte um médico e siga as orientações, trago apenas o que vivenciei e deu certo com minha bebê.Espero ter ajudado.

Comentários
30
Compartilhe este post
Pin It

Vê nossos filhos doente, seja qualquer tipo de doença já ficamos preocupadas e muitas vezes desesperadas, e a pneumonia é uma das doenças que mais preocupam as mamães, pois muitas vezes esta doença pode deixar o bebê ou a criança muito debilitada, com febre, e com pouco apetite, por isso é importante você mamãe conhecer mais sobre essa doença, como se prevenir e ter alguns cuidados que podem amenizar o quadro de pneumonia em seu filho. 

Infelizmente, a pneumonia está ficando a cada dia mais comum entre crianças e bebês, ainda mais em tempos de frio, o cuidado deve ser redobrado, crianças que frequentam a creche e escolas também estão mais expostas a pegarem esta doença. 
 photo -pneumonia_zps61b1f934.jpg

Pneumonia em bebês e crianças 

A pneumonia é um termo geral que se refere a uma infecção dos pulmões, os quais podem ser causados por vários microrganismos, entre os quais incluem vírus, bactérias, fungos e parasitas. 
Na maioria dos casos a pneumonia é causadas por vírus, tais como adenovírus, rinovírus, vírus da influenza (gripe), e o vírus sincicial respiratório (RSV). Muitas vezes antes da doença se agravar para a pneumonia, o bebê ou a criança pode ter bronquiolite a Gabi já teve duas vezes  fiz o tratamento em casa e mantive os cuidados, o bronquiolite tem os sintomas parecidos com a pneumonia. 
Muitas vezes, a pneumonia se inicia após uma infecção do trato respiratório superior (infecção do nariz e da garganta), por isso achamos que muitas vezes é apenas um resfriado comum e após 2 ou 3 dias a criança ou o bebê acaba desenvolvendo a doença. 

Quais são os sintomas da pneumonia? 

Caso seu filho fique resfriado, tossindo muito não hesite em leva-lo ao pediatra, os sintomas também podem variar de acordo com a idade da criança. Para ajudar você a identificar a pneumonia, separei os seus principais sintomas que são: 
  • Febre. 
  • Calafrios. 
  • Tosse. 
  • Congestão Nasal. 
  • Respiração rápida e com algum tipo de chiado (em alguns casos, este é o único sintoma). 
  • Vômitos. 
  • Diarreia. 
  • Dor no peito. 
  • Dor abdominal. 
  • Em casos extremos, lábios e unhas azulados. 
  • Falta de apetite em crianças mais velhas, e nos bebês a recusa em amamentar, o que pode conduzir a desidratação. 
Crianças com pneumonia causadas por bactérias geralmente ficam doentes muito rapidamente e começam com uma febre alta repentina e respiração muito rápida. Já as crianças com pneumonia causada por vírus provavelmente, terá sintomas que aparecem de forma mais gradual e menos grave, embora o chiado no peito pode ser mais comum em pneumonia viral. 

Como diagnosticar a pneumonia? 

Durante a consulta, o pediatra observa as condições física do bebê e ouve a respiração com um estetoscópio. Este detecta qualquer som da respiração ou qualquer outro som anormal, como o chiado. Seu bebê vai estar respirando muito rápido para entrar mais oxigênio, porque alguns dos alvéolos pulmonares estão preenchidos com acúmulo de líquido. 
Se o médico achar que seu filho tem pneumonia, talvez irá pedir um raio-x do toráx, uma análise de sangue ou fluido de seu nariz. Para certificar se o seu bebê está recebendo oxigênio suficiente, o médico pode usar um oxímetro de pulso, um aparelho simples (como um clipe ou grampo) colocado no dedo para medir a saturação de oxigênio. 

Qual o tratamento para a pneumonia? 

Na maioria dos casos, a pneumonia pode ser tratada com antibióticos administrados por via oral em casa. O tipo de antibiótico utilizado depende do tipo de pneumonia, em alguns casos pode ser que o médico peça para que seu filho faça inalações com remédio. 
Pode ser necessário a hospitalização para tratamento de crianças ou bebês que tenham pneumonia causada por Bordetella, ou outro tipo de pneumonia bacteriana que causa febre alta e dificuldade respiratória, ou nos casos seguintes: 
  • Oxigênio suplementar, se necessário. 
  • Se a criança têm infecções pulmonares, que podem se espalhar para a corrente sanguínea. 
  • O bebê vomita e é incapaz de tomar medicamento por via oral. 
  • A criança têm episódios recorrentes de pneumonia. 

Como posso evitar a pneumonia? 

A prevenção da pneumonia em crianças e bebês pode ser feita através das seguintes medidas: 
  • Vacinar a criança com todas as vacinas indicadas no calendário básico de vacinação da criança. 
  • Amamentar o bebê exclusivamente até os seus primeiros 6 meses de vida. 
  • Dar o suplemento alimentar de vitamina A e D no 1º ano da criança, segundo a orientação do pediatra. 
  • Oferecer uma alimentação saudável e bastante variada quando a criança começar a comer alimentos sólidos. 
  • Dar a vacina da gripe anualmente para evitar que a criança fique resfriada ou gripada. 
  • Vestir a criança de acordo com o clima do dia. 
  • Manter a criança longe da poluição e de pessoas fumando. 
  • Evitar ambientes fechados, cheios de gente, principalmente no outono e no inverno. 
  • Evitar o contato com indivíduos com gripe ou resfriado. 
Todos o cuidado é pouco pois assim as chances da criança adoecer e vir a desenvolver uma pneumonia são reduzidas. Outra dica fundamental é manter as boas práticas de higiene, lave sempre as suas mãos e as do seu bebê com frequência para evitar espalhar os germes. Não compartilhe copos ou utensílios com os outros. Limpe regularmente todos os lugares que acumulam muitas bactérias como: telefones, celulares, brinquedos, maçanetas, interruptores), esses objetos acumulam muitas bactérias. 
Se você ou seu companheiro tem o hábito de fumar fume fora de casa, e peça aos visitantes a fazerem o mesmo. Estudos mostram que crianças que convivem com fumantes, adoecem com mais frequência e são mais propensas à pneumonia, infecções do trato respiratório superior, asma e infecções de ouvido. 
Mas nós mamães sabemos que mesmo com todo o cuidado que temos, infelizmente a pneumonia acaba aparecendo, o importante é ficar bem atenta e se o seu filho está resfriado a mais de 3 dias e com muita tosse procure um pediatra imediatamente, todo cuidado é pouco. 

Compartilhe este post
Pin It
beijar a boca do bebê
Entrei num dilema aqui em casa, beijar ou não a boca dos bebês, pois beijar é um ato normal e cotidiano que realizamos muitas vezes durante o dia para saudar um conhecido, para nos despedirmos de nosso esposo antes de ir trabalhar, como cura para uma ferida de uma criança ou como mostra de carinho. Costumamos dar beijos no rosto e às vezes chega até ser uma expressão tão rápida e quase banal que os nossos lábios não conseguem tocar a pele da outra pessoa. Mas há outros beijos que damos na boca, normalmente no nosso esposo e em muitos casos nos nossos filhos. O que você acha de beijar a boca dos bebês?

Por que não deveríamos beijar os bebês na boca?

Beijo na boca dos bebês. Sim ou não?

Beijar na boca dos nossos filhos é um ato muito comum em muitas famílias, um costume que acontece de forma natural, como quem dá um beijo no rosto.li na net que pode ocorrer de o resfriado serem passado de um para o outro sistematicamente, durante um duro inverno ai deve se tomar hábitos mais assépticos.

Essas são as teorias contra o beijo na boca das crianças:

– A razão principal de quem acredita não ser correto, é médica: creem que é um ato que pode transmitir doenças ao bebê tais como gripe, resfriado ou mais graves como a mononucleose.
– Para outras pessoas é inaceitável dar um beijo na boca de uma criança, ainda que seja seu filho, já que acreditam que está relacionado com uma “conduta sexual”, reservada apenas para casais.
– À medida que as crianças vão crescendo não é correto continuar com o costume, já que por um lado poderia ser objeto de gozações na escola ou a criança poderia confundir esse costume e tentar repetir com seus amigos.

Essa é a teoria principal a favor de beijar o bebê na boca:

– É um ato de carinho e amor sem nenhuma conotação, que cria um vínculo mais próximo entre pais e filhos. Não tem nenhuma conotação sexual ou seja, só é a expressão do amor entre pais e filhos. Abraçar e beijar crianças é normal para um bom desenvolvimento emocional.

E você, o que acha?

Compartilhe este post
Pin It
 photo Alimentos-que-soltam-o-intestino-do-bebecirc_zpsdbfc9b33.jpg
Minha filha Isa, sempre teve o intestino preso e Gabi hoje estar assim.Os bichinhos sofrem pra caramba. Já passei horrores com a Isa. Ela praticamente não fazia cocô se comesse comida com farinha ou um simples pedaço de goiaba. Basicamente, não tinha muito o que fazer, não tinha o que dar, e toda vez que  era uma crise de intestino preso muito forte, era ao pediatra que eu tinha que recorrer. 

Depois que descobrir  que isso causa intestino preso nunca mas ela comeu uma goiaba até hoje , e aprendi a equilibrar a dieta dela de forma a soltar um pouquinho o intestino dela. Basicamente, o que eu tenho percebido sobre o assunto é que há duas formas de fazer isso: uma é oferecer alimentos já reconhecidos por suas propriedades laxantes e a outra é prestar atenção à reações dos nossos pequenos e identificar quais são os alimentos que fazem com que o intestino deles trabalhe melhor. 

Trago uma lista de alimentos que são reconhecidos por soltarem o intestino preso nas crianças (e adultos) e outros que não são tão conhecidos assim por essa função, mas que aqui em casa tem um efeito ótimo.  


Frutas: 

Ameixa seca: acho que é o alimento mais reconhecido por soltar o intestino. Ele pode ser oferecido através de chazinho, quando o bebê é menor (Modo de preparo: deixar duas ameixas de molho num copo de água de um dia para o outro), ou a própria fruta mesmo, quando o bebê já se alimenta de sólidos. 
Mamão: depois da ameixa, outro famoso por soltar o intestino é o mamão mas nem a Isa nem a Gabi aceitam muito bem. 
Manga: também ajuda a soltar o intestino.  
Laranja: é reconhecida por seus efeitos laxantes, com a Gabi as vezes funciona. 

Fibras: 

Aveia: também possui propriedades laxantes e aqui a dica é oferecer junto com mamão (cuidado ao oferecer com banana, pois a banana é conhecida por prender o intestino). 
Linhaça: também pode ser misturada a alimentos laxativos para  potencializar os seus efeitos. 

Grãos: 

Feijão, lentilha, ervilha: são conhecidos por funcionarem como laxativos também. 

Legumes: 
Milho verde: aqui em casa funciona como um laxante e tanto! E várias amigas também já me relataram o mesmo. 
Cenoura: aqui também funciona como laxante, apesar de não ser um legume reconhecido por possuir essa propriedade. 
Abóbora: também é boa,  (mas nem o efeito da abóbora, nem o da cenoura, se equiparam ao poder do milho.) 
Sementes: 
Gergelim: tem ótimo efeito laxante. 

Óleos/azeites: 
Azeite de oliva: tem um excelente efeito laxante sobre o intestino . 

Água: 

Muitas vezes, a criança está com intestino preso por falta de água no organismo. Por isso, sempre que você estiver enfrentando esse problema, ofereça muita água ou outros líquidos. 
  
Importante: 
Sempre antes de oferecer aveia e linhaça para seu filho, converse com o pediatra se ele autoriza a inclusão desses alimentos na dieta da criança. 
Crianças que mamam apenas leite materno podem ficar períodos maiores sem evacuar sem risco à sua saúde.  
Lembre-se que o indicado é a criança alimentar-se exclusivamente de leite materno até seis meses e, depois, contarem com o leite materno na sua dieta até os dois anos de idade. Além de todos os benefícios já conhecidos, isso ajuda no funcionamento equilibrado do intestino. 
Se a criança se alimenta de fórmula, veja com o pediatra a possibilidade de trocá-la, caso continue  acontecendo de o intestino  ficar preso. 
Faça massagens no abdômen (circular em volta do umbigo) e movimento de bicicletinha com as pernas para auxiliar no melhor funcionamento do intestino. 
Sempre que tiver na dúvida se o seu filho está com o intestino preso ou não e o que deve ser feito para amenizar ou resolver o problema, converse com o pediatra. Esse post traz algumas dicas sobre o que já passei,  mas somente um profissional poderá dar a orientação adequada.

Compartilhe este post
Pin It