Oração da tentante
À espera do meu milagre

matiz

Oração da tentante

De tudo fiz e de tudo tentei, Senhor. Foram dias e horas e lágrimas que perdi. A esperança não.

Porque tenho fé. Tenho fé na pureza da vontade que me move. Tenho fé no plano inabalável da minha feminilidade. Tenho fé no amor que vibra no meu coração, à espera de se dar a alguém. Tenho fé na vida.

De tudo fiz e de tudo tentei para engravidar, Senhor. Nos braços amantes do meu companheiro fiz promessas de um amanhã a três. Fizemos contas aos dias. E testes, sempre negativos.

Tentámos de novo. E mais uma vez depois dessa. Amantes na partilha de um desejo maior do que o prazer. Amantes da promessa de uma casa mais cheia, de uma vida mais plena. Tentei. Tentámos, Senhor.

Quando não funcionou, tentante que sou, foi nas mãos abertas do médico que coloquei questões e confiança. E, depois dele, nos tratamentos de fertilidade. Não sei que segredo se esconde no meu ventre, que nenhum ser gera e nenhuma esperança cumpre.

É uma infertilidade à qual chamo tristeza e que me mói a alma.

Das corridas para o médico, para a clínica, para os tratamentos hormonais e in-vitro. Senhor, dos meios dos homens tentei todos e nenhum cumpriu a promessa feita e difundida de pôr em mim um sorriso de mãe.

Humildemente, Senhor, enquanto tentante, recorro a ti. Não trago pedidos soltos. Venho com a gratidão. A gratidão por me teres feito mulher. A gratidão por me teres feito amar e ser amada em medida igual.

A gratidão por me teres posto no caminho deste companheiro que comigo partilha, não só a vida, mas também projetos e sonhos. Agradeço-te, Senhor, porque é fácil esquecer as bênçãos recebidas quando o desejo nos é negado. Não as esqueço! Sei bem a sorte efetiva que me molda os passos, sempre sob o teu olhar divino e complacente.

É a par com o profundo agradecimento que trago o pedido. Senhor, não sou apenas mulher. Sei que, no meu semblante, encontras traços da mãe que eu poderia vir a ser.

Sou uma tentante.

Quero criar o meu filho na graça das tuas palavras e na linha dos teus ensinamentos.

Quero fazer com que ele cresça, saudável e feliz, para ser bom e justo. Quero ensinar-lhe a importância dos outros e quero que ele venha, um dia, a ensinar aos meus netos tudo isto, impulsionando um mundo que conheça melhor a força da tua Palavra.

Não prometo, Senhor, que não falhe nesta tarefa, posto que o mundo se ofende com a bondade. Mas prometo agir sempre no sentido da construção dessa realidade que moldou a criação do Mundo.

Senhor, olhando ao espelho encontro metade de mim. E agradeço essa metade perfeita que se reflete. Mas a outra metade ainda não nasceu. Ainda não se fixou no meu útero.

Ainda não se desenvolve e cresce. Não me verei inteira até me ver com um filho nos braços. Não me verei inteira até ser mais do que eu.

Eu entendo, Senhor, a provação. E sei que no mundo há quem viva com necessidades mais prementes, mais intensas e mais vitais.

Não peço esta graça por desprimor à necessidade alheia. De olhos bem abertos, sei que é este o meu chamamento e o meu papel no mundo: criar alguém que olhe e veja também essa realidade, que a contrarie, que transporte, por mais uma geração, os valores que podem transformar a nossa existência numa existência mais justa onde sejamos, de verdade, todos irmãos.

Se for abençoada com mais esta graça – se passar de tentante a mãe – farei, garanto, o meu melhor. Do primeiro dia até ao meu último sopro, viverei para criar, amar e ensinar o meu filho a amar como nos ensinaste a amar; a respeitar como nos ensinaste a respeitar; a construir como nos ensinaste a construir.

Mesmo depois de tantas falhas, Senhor, eu tenho fé. Porque não acredito que um mundo tão grande não tenha o espaço para me dar um filho. Porque não acredito que um Deus tão grande não tenha o poder de me dar uma oportunidade.

Mesmo depois de tantas falhas, acredito no milagre. Porque sei que o milagre é a vida e que a vida se renova a cada amanhecer.

É de olhos no alto e coração aberto que deposito este pedido no meu banco de orações, para que saibas como quero criar alguém à imagem das palavras sagradas, que nos impelem a sermos melhores. Para que saibas que acredito na força e no poder do que ainda não é concreto e evidente.

De tudo fiz e de tudo tentei, Senhor. E de tudo farei, de tudo tentarei. Foram já dias e horas e lágrimas que perdi. Por caminho, fui perdendo. Tanto, tanto… mas nunca a fé. Nunca a esperança.

Transporto-as comigo. E sei que, um dia, brevemente ou daqui a mais tempo, será com um filho nos braços que terei um novo agradecimento celeste para estender.

Até esse momento, permaneço à espera da tua bênção, do teu toque, do teu milagre. E permaneço de cabeça erguida, seguindo o caminho do meu destino.

Um dia, tal como tantas antes de mim, sei que ouvirás esta prece. E terei nos braços o meu filho. E hei-de amá-lo como tu, Senhor e Pai, nos amas a todos.

Fica o desejo no ar de que se cumpra, em mim, a maternidade. Que assim seja. Que assim se faça. Se essa for, também, a Tua vontade.

Assinado: Uma Tentante

Fonte: https://goo.gl/G1JvtI