Bootstrap Slider

Bailarino sofre críticas por fazer aulas com a Filha

O pai e bailarino Raphael Najan, de 33 anos, encontrou uma forma de passar mais tempo com a filha Luana, (9), indo com ela para as aulas de balé e praticando também. O que ele não esperava é que esse  gesto de carinho iria se tornar alvos de críticas e preconceitos

BAILARINO

Bailarino sofre críticas

Desabafo do Bailarino

“Eu fico pensando por que uma pessoa se dá ao trabalho de criar um perfil fake só para poder fazer esse tipo de crítica. Mas é o ser humano, né? As pessoas cobram tanto que haja mudanças na sociedade, mas elas mesmas continuam destilando preconceito”, diz Raphael

O preconceito contra a dança, diz ele, começou junto com suas próprias aulas de balé e vieram do seu próprio pai, que só foi aceitar a escolha de Raphael quando a dança começou a lhe garantir sustento.

Assim, estar presente nas aulas da filha foi a forma que ele encontrou de passar mais tempo com ela. “Faço pelo menos uma barra, ou às vezes faço um centro. Como danço na mesma academia que ela, tenho abertura maior com os professores para ficar junto com ela. É só uma forma de fazer junto”, conta.

Se dependesse dele, o filho menor, Miguel, de seis anos, também faria balé. Mas o menino, que faz breakdance em casa, rejeitou a ideia, talvez já influenciado pelo preconceito que cisma em estar presente até nas escolas.

“Uma vez falaram que o pai dele era bailarino e ele ficou bravo, respondeu que não, que o pai dele dançava”, lembra Raphael.

“Fica a briga dos pais contra sociedade, contra a escola que diz que balé é coisa de menina, que se veste de rosa”.

Já Luana adora a dança, e, pela opinião do pai coruja, tem tudo para ser excelente bailarina. “Eu vou te falar que ela pegou tudo aquilo que eu não tenho. Eu não sou bailarino clássico. Mas ela tem todo o perfil de que se continua, vai seguir a linha clássica. Ela tem o corpo de uma bailarina, a postura, os pés.”

Fonte: Quebrando Tabu Adoção Homoafetiva

Comentários
0
Compartilhe este post
Pin It

Boneca Baby Alive fica cheia de Larvas

Mamãe compartilha filmagens de horror de uma larva infestada. Boneca Baby Alive para aumentar a conscientização das mamães está avisando os pais para se certificar de que limpam dentro das bonecas de seus filhos adequadamente se alimenta-las com comida.

BONECA BABY ALIVE

Alyssa Abston filmou o interior de uma boneca infestada Baby Alive infestada para mostrar o que pode acontecer se eles são alimentados com comida real e não limpos completamente.

Eles então “cocô” para fora do outro lado em uma fralda, que também vem com a boneca.

As imagens filmadas pela Alyssa já foram compartilhadas mais de 32.000 vezes no Facebook ao lado de seu post, que afirma: “Então, para qualquer pessoa cujo filho tem um bebê vivo ou uma boneca que pode ser” alimentado “, por favor, certifique-se de lavá-lo Com água quente e sabão depois de cada uso. ”

A larva infestada da Boneca Baby Alive

“A boneca era na verdade de uma amiga da família e minha sobrinha de seis anos a encontrou, ela gritou muito alto porque achava que o bebê tinha vermes”.

Alyssa, 18, decidiu filmar o interior da boneca e tirar fotos dos vermes para compartilhar como um aviso para os outros.

Vídeo da Boneca Baby Alive

Ela acrescentou: “Isso mostra o quão grosseira foi e nós jogamos fora, então eu acho que eles tinham alimentado a fórmula do bebê.”

Centenas de pessoas comentaram sobre o post, com muitos dizendo que eles não têm um problema com as bonecas quando eles só usam o alimento fingir que vêm com.

E Ashley Bowen Kent acrescentou: “Minha filha tem exatamente este mesmo. Ela tem três anos e nunca colocou comida de verdade na coisa.” O senso comum é lavá-lo depois do uso. ”

“Com a comida de boneca reutilizável e shaper lanche, as crianças podem ser criativos e fazer diferentes tipos de comida deliciosa procurando fingir para ela.

“Depois que os snacks finais estão prontos, coloque-os fora de seu prato com sua colher especial. Eles podem tentar fazer o avião que funciona cada vez.


Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It

07 Dicas de Como Cuidar do Recém-nascido

O bebê é considerado recém-nascido até o 28º dia de nascimento. Neste período, é comum mães e pais ficarem preocupados com a fragilidade e saúde de seus filhos.

RECÉM-NASCIDO

E hoje trouxe 10 dicas que irá te ajudar a esclarecer assuntos que fazem parte desta nova rotina.

07 Dicas de Como Cuidar do Recém-nascido

1-Quando o bebê chora ao tomar vacinas, a gente fica com dó, mas tem que ter consciência de que elas são muito importantes para evitar o desenvolvimento de doenças que podem se tornar graves.

2-Um dos maiores dilemas para os pais de recém-nascidos têm são as cólicas. Infelizmente, essa dor é normal e costuma ocorrer entre duas e três semanas de vida e parar por volta dos três ou quatro meses massagens ajudam e muito nessa hora.

3-Cuidar do umbigo do recém-nascido é algo essencial, mas que muitos pais ainda sentem medo! O coto umbilical não é esse terror todo, não precisa ter tanto receio. Ele não dói, porque não tem nervos, é só um pedaço da pele da mãe.

4-Um dos hábitos que as mães de recém-nascidos precisam adotar com os bebês é o famoso banho de sol. Ele é essencial para ativar a vitamina D, recebida pelo leite materno, no corpo da criança.

5-Não precisa se preocupar: a moleira não é tão frágil assim. Mesmo não sendo tão frágil quanto parece, é preciso ficar atenta às mudanças na moleira do bebê até que elas se fechem.

6-O choro começa desde o nascimento do bebê e costuma fazer parte do dia a dia do bebê por muito tempo.

7-Os 10 primeiros dias são dias de caos! Não tem regras, tudo que facilitar a vida dos pais é permitido. É a fase da livre demanda na qual o bebê mama quando quiser e dorme quando quiser”, diz Stéphanie Sapin-Lignières.

Espero que tenham gostado das dicas

 


Comentários
0
Compartilhe este post
Pin It

Durante cesárea Bebê tem cabecinha cortada

Aconteceu algo muito negligente na Inglaterra em meio a cesárea de Emma Edwards o médico acidentalmente fez um corte profundo na cabecinha de sua bebê. . A bebê Karmen ficou com um corte de quase QUATRO centímetros entre os olhos e as orelhas, acreditam ? “Meu parto foi um desastre do começo ao fim”, disse a mãe Emma

CESÁREA

Durante cesárea a cabecinha do seu bebê foi cortado

Tudo começou porque o medico insistia que era necessário uma cesária porque Karmen era muito grande para um parto normal. Confiando no profissionalismo do medico ela foi para a maternidade na data combinada.

Nada parecia está dando certo ela chegou no hospital às 8:00 conforme agendado e após esperar até as às 17:00 foi informada que o procedimento não seria realizado naquele dia devido a superlotação do hospital e que a cesárea seria feita na manhã do dia seguinte. Emma dormiu no hospital e no dia seguinte aguardou até às 12:00 quando foi informada que o procedimento não ocorreria novamente, já cansada ela foi para casa e na madrugada daquele dia sua bolsa estourou.

E ela voltou o mais rápido possível para a maternidade com seu marido. “Assim que eu cheguei no hospital, eu informei a enfermeira que minha bolsa havia estourado. Eu estava com muita dor, com muitas contrações, mas ninguém me deu atenção.

Eu fui encaminhada para a cesárea às 10 da manhã e tudo parecia bem, até que minha bebê nasceu. Assim que Karmen nasceu, vi os médicos correrem com ela para uma unidade médica especial e então eu descobri que o médico havia cortado a cabecinha da minha filha durante a cesárea!”, contou Emma.

A explicação da Médica sobre o acidente durante a Cesárea

Para piora a explicação do medico é de deixar qualquer uma de boca aberta. “O médico veio e falou comigo depois do ocorrido e disse que aquilo aconteceu porque eu não havia contado a ninguém que minha bolsa tinha rompido e que eu estava em trabalho de parto. Mas eu fui checar meu histórico hospitalar e lá estava escrito que eu estava em trabalho de parto e que minha bolsa tinha rompido!”, disse Emma.

A historia não para por aí, o corte na cabecinha da bebê só foi ser devidamente costurado 24 horas após o parto, pois não havia um cirurgião na maternidade.

O caso sendo investigado mas infelizmente nenhuma medida vai fazer o tempo voltar e mudar o histórico de violência no que devia ser o dia mais feliz da vida de mãe e filha.
No Reino Unido, cerca de 3% dos bebês que passam por uma cesárea sofrem algum tipo de corte no corpo.


Comentários
0
Compartilhe este post
Pin It