Bootstrap Slider

Olá mamães hoje trago um alerta sobre um ocorrido com um irmão gêmeo o qual um ficou preso embaixo de uma cômoda.

Muitas vezes achamos que o quarto é seguro e damos aquela saidinha rápida para ir ao banheiro, olhar a panela que está no fogo ou até mesmo atender a porta.

Depois de assistir a esse vídeo seu pensamento irá mudar no que você acha que está seguro ou não em sua casa

Bebê de 2 anos salva irmão gêmeo preso debaixo de cômoda

IRMÃO GÊMEO

Um bebê de 2 anos salvou a vida de seu irmão gêmeo após a cômoda do quarto deles cair em cima do menino. Brock Shoff estava brincando quando o móvel desabou e, de maneira impressionante, o irmão Bowdy calculou a melhor forma e conseguiu retirá-lo.

O vídeo, divulgado pelo pai dos bebês Ricky Shoff no domingo, no Facebook, é um alerta para os pais porque bebês podem morrer em acidentes assim. “Estava um pouco hesitante sobre este post. Mas sinto que não é só para trazer a consciência, mas também é incrível. Estamos tão gratos pelo vínculo que estes irmãos gêmeos compartilham. Sabemos que Bowdy não estava sozinho em mover a cômoda de Brock. E me sinto abençoado que ele está bem. Por favor, certifique-se de todos as suas cômodas estão aparafusadas e fixadas à parede. Por favor, compartilhe”, escreveu o pai ao compartilhar o registro impressionante.

 

 

E os acidentes são mais comuns do que se imagina. Segundo a institução Meghan’s Hope, criada por uma mãe que perdeu a filha de 3 anos num acidente assim, mais de 25.400 crianças são feridas a cada ano por queda de móveis, televisores ou eletrodomésticos. Para se ter uma ideia do perigo, mês passado a fabricante de móveis Ikea pagou 50 milhões para os pais de três crianças que morreram depois que cômodas caíram sobre elas.

Esse alerta me fez repensar e analisar algumas coisas aqui em casa.

Fonte: https://goo.gl/2549O0


Comentários
3
Compartilhe este post
Pin It

07 dicas para viajar com bebê nas Férias

2017: Sete dicas para quem vai viajar com bebê nessas férias

VIAJAR COM BEBÊ

07 dicas para viajar com bebê nas Férias

Olá mamães fim de ano chegando, vai viajar com bebê, trago algumas dicas para você saber como se organizar com a viagem

Pois afinal de contas fim de ano é a época perfeita para viajar em família, porém viajar com bebê exige algumas preparações para garantir assim uma viagem sem surpresas.

Do desconforto dentro do avião a contatos de emergência e caixinha de remédios, Dr. Jofre Cabral, pediatra e neonatologista da Perinatal, dá algumas dicas e soluções para os problemas mais comuns que podem acometer quem está planejando colocar o pé na estrada pela primeira vez com o bebê. Confira!

Pediatra da Perinatal ajuda na preparação da bagagem dos pequenos aventureiros

1) No avião

Nos procedimentos de decolagem e pouso é comum que a criança sinta a pressão no ouvido e isso lhe cause desconforto. “O movimento de sucção ao mamar, geralmente, é o suficiente para aliviar esse problema. Caso a criança continue reclamando, fazer calor no ouvido, com a própria mão ou uma cobertinha, para diminuir essa pressão,”.

2) Farmácia

Dr. Jofre sugere uma consulta antes da viagem para ver se o bebê precisa de algum medicamento específico. “Para os casos mais comuns, é recomendado um antitérmico e um termômetro para febre, mordedores para os dentinhos, soro fisiológico, creme para assaduras, filtro solar, pinças pequenas para o caso de farpas ou ferrões de insetos, pomadas cicatrizantes, gaze, tesourinha, esparadrapo para feridas e remédio para gases. Antibióticos são desnecessários e todos os medicamentos prescritos precisam ser transportados juntos com suas receitas”.

3) Sol e estrada

“Para crianças acima de seis meses de idade é sempre importante aplicar o filtro protetor solar e respeitar os horários de exposição segura ao sol – antes das 10h e depois das 16h. Caso ele seja um pouquinho mais novo, não pode usar protetor e, por isso, o cuidado é ainda maior. Leve um chapéu, fique na sombra e não permita que o bebê fique exposto por mais que 15 minutos. Em viagens de carro, é bom cobrir as janelas para evitar que o sol atinja o bebê. Para viagens a locais frios e nevados, roupa adequada e manteiga de cacau, para proteger os lábios”.

4) Emergências

Para evitar sustos, o médico sugere levar o telefone do pediatra e dos contatos de emergência, não esquecer a carteirinha do plano e ter conhecimento dos hospitais mais próximos da região em que ficará hospedado. “Também sugiro que as mães saibam fazer soro caseiro para o caso de desarranjos intestinais”. A receita recomendada pelo UNICEF é: uma medida rasa de sal da colher padrão para duas medidas rasas de açúcar em um copo com água. A colher padrão é distribuída gratuitamente nos postos de saúde e farmácias populares.

5) No hotel

Dr. Jofre sugere também que a mãe fique atenta às cozinhas dos hotéis, para verificar a possibilidade do preparo rápido de refeições específicas para a criança ou ainda se permitem que a mãe possa preparar a comida do bebê. Em relação à amamentação, a orientação é não carregar o leite. “O melhor meio de transporte do leite é dentro do seio. Mas, caso ela deseje levar, lembro que o leite deve ser conservado na geladeira por 24 horas. Se congelado, dura até 15 dias”.

6) Na estrada

Em viagens de carro, a segurança fica em primeiro lugar. “A cadeirinha com o cinto de segurança adequado é fundamental para o transporte do bebê e a mãe deve retirá-lo dela com o carro totalmente desligado. Os pais devem também garantir que haja cintos disponíveis para todos da família e programar paradas a cada três horas para olhar o bebê ou a cada vez que ele reclamar”.

7) Turistando

Na cidade, o pediatra dá algumas dicas para o dia. “Bebês mais novos podem ficar tranquilamente no canguru ou no sling, desde que estejam confortáveis. Já crianças mais velhas, terão mais liberdade se caminharem. Recomendo também aos pais que levem um edredom pequeno ou uma toalha mais grossa para o caso de querer colocar a criança na grama ou na areia. Dessa forma, podemos evitar surpresas como mordidas e/ou picadas de animais e insetos.”.

Fora isso, uma ótima viagem em família!

Fonte : Assessoria de Imprensa


Comentários
0
Compartilhe este post
Pin It

Aplicativo que cria árvore da vida em fotos de Amamentação venha aprender a fazer o seu

Olá mamães sempre fui e serei a favor da amamentação, pois além de ser um momento único entre mãe e filho, cria um vínculo entre ambas as partes alimenta, nutre e fortalece o bebê, amamentar é vida e amor.

APLICATIVO

Aplicativo que cria árvore da vida

E para criar um registro lindo e mágico desse momento único, um novo aplicativo vem ganham as redes sociais, o qual transforma “selfies” de amamentação em “brelfies” (expressão criada a partir da junção entre a palavra selfie e a breastfeeding, que significa amamentação em inglês).
Esse App criativo possibilita a customização de retratos com efeitos e artes também, como a árvore da vida, que demonstra a amamentação que faz com que os bebês cresçam saudáveis e fortes, outro exemplo desse aplicativo é criar uma nova foto com muito charme e encanto.
Mas a ideia do aplicativo não é só criar lindas fotos ele vai além , ele incentiva a amamentação e é contra ao preconceito que ronda as mães que amamentam
Varias imagens estão sendo compartilhadas nas redes sociais com as hashtags #TreeOfLife e #brelfie.

Segue algumas das imagens feitas com o aplicativo:

Aplicativo que cria árvore da vida

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

Gostou? Com alguns passos simples você cria sua própria imagem:

Como fazer o seu:

Baixe o aplicativo PicsArt;

Para inserir o efeito da árvore da vida, basta baixar gratuitamente o pacote de adesivos “TreeOfLife”;

Abra o app, clique em “editar” e, em seguida, selecione sua foto amamentando;

Depois, clique no ícone “adesivo” e escolha uma árvore no pacote “TreeOfLife”;

Gire a imagem ou o adesivo e ajuste o tamanho como desejar;

Em seguida, clique em “Mágica” e escolha um dos efeitos.

O vídeo abaixo demonstra como fazer:

 

Muitas mamães têm compartilhado suas fotos usando esse APP no Facebook, Instagram e Twitter e utilizando as hashtags #TreeOfLife e #brelfie, não só para realçar a beleza da amamentação, mas também para reduzir o ultrapassado estigma associado à amamentação em público.

 

 


Comentários
0
Compartilhe este post
Pin It

10 motivos para não ter filhos

Olá mamães talvez você chegou aqui e pensou mais como pode uma mãe relatar dez motivos para não ter filhos, mas garanto que a leitura vale a pena

Muitas pessoas querem ter um filho é instinto, já outras não querem e ponto cada pessoa tem que ser respeitada afinal de contas cada um sabe o que é melhor para si  e é melhor só ter um filho quem realmente quer.

De acordo com a pesquisa feita, esses casais relataram 10 motivos para não ter filhos. Vamos a eles.

10 motivos para não ter filhos

1) Filhos custam caro: Alimentação, educação, roupas e criação é preciso ter dinheiro.  Pode até ser porém não é mais caro que um apartamento de luxo, um carro do ano ou uma viagem de Cruzeiro dando a volta ao mundo.

2) Parto é dói demais: sentir dor, vê seu corpo mudando drasticamente, aumento de peso, sentir contrações são alguns dos motivos citados pelas pesquisadas que não pensam em gravidez. “A gestação e o parto acabam com o corpo da mulher”, diz a terapeuta de casal Sylvia Faria Marzano, diretora do Instituto ISEXP. E, neste caso, não é só a mulher que não quer ver seu corpo deformado, mas o companheiro dela também. “Parto é dor, sangue e cansaço. A anestesia local é de grande valia mas, mesmo assim, está longe de ser algo agradável”, afirma a escritora Corine em seu livro.

3) Medo de não ser um bom pai ou mãe: “Há quem não acredite em sua capacidade de educar e amar uma criança”, afirma a psicóloga Patrícia Spada. Medo de errar no futuro faz com que nem se inicie a aventura da paternidade.

4) Priorizar a carreira: “Ser bem-sucedida em uma profissão, ser reconhecida pela sua capacidade acarreta uma grande realização pessoal e filhos iriam atrapalhar a ascensão profissional”, conta a psicóloga Sueli Castillo.

5) Fim da vida sexual: o amor pode não acabar com a chegada dos filhos, mas há quem diga que o desejo desaparece. “O atentado estético contra o corpo da mulher a faz, durante vários meses, parecer um bicho grande, disforme e engordado à força. Muitos homens até acham bonito, mas nem por isso têm tanta vontade assim de fazer amor com elas”, diz Corine.

6) Evitar erros do passado: “Pessoas traumatizadas pela separação conjugal dos pais querem que os possíveis filhos não venham a sofrer desilusões como as que passaram”, diz a terapeuta Sylvia.

7) Fim da vida social: por alguns anos, criar filhos significa abrir mão de festas, reuniões sociais, passeios e viagens com os amigos.

8) Pressão da família e dos amigos: “Ter filhos é uma decisão que depende de possibilidades internas de cada um e não pode ser para atender a expectativa de outros”, afirma a psicóloga Silvana Martani.

9) Ter atenção exclusiva do companheiro: Há casais que sentem dificuldade em dividir o amor com outro, mesmo que seja um filho.

10) Simplesmente não quer: é uma opção e não uma obrigação imposta pela sociedade. “Não ter tempo para se dedicar a um filho, querer viver em função de si mesmo e não estar disponível para mudanças e novas rotinas são alguns motivos que levam a esta opção”, afirma a psicóloga Walnei Arenque.

Essas fotos me fizeram rir muito!

NÃO TER FILHOS

10 motivos para não ter filhos

Slide_350214_3756570_free

NÃO TER FILHOS

slide_350214_3756574_free

slide_350214_3756575_free

slide_350214_3756577_free

slide_350214_3756579_free

slide_350214_3756580_free

slide_350214_3756581_free

slide_350214_3756582_free

slide_350214_3756586_free

slide_350214_3756588_free

slide_350214_3756590_free

Reportagem via A Critica

 


Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It