Resultados para: parto

Você está pronta para ser mãe

Quase todas as mulheres tem o desejo de ser mãe, mas essa decisão depende muito da realidade e da circunstância de cada pessoa. A decisão de ser mãe não pode se tornar uma obsessão entre o casal, nem tão pouco em uma circunstância sem consequências. Ter um filho é sim ter muitas responsabilidades e compromisso, uma decisão que deve ser tomada de maneira pensada e com tranquilidade.ser mãe

Em algum momento da vida a decisão de ser mãe circula pela cabeça de muitas mulheres, algumas não duvidam, e é o que sempre sonho em ser mãe, outras desejam, mas sentem medo ou insegurança, e outras, simplesmente não querem tanto quanto as demais, ter um filho. Em todo caso, a decisão de ser mãe só depende de você.

Mas o que é necessário para ser mãe

Para ser mãe, não se requer título nem experiência. Tão pouco é uma escolha que chega com um manual de instrução. Ninguém nasce preparado para ser uma mãe. Apenas, as mulheres que estão tentando ser mães podem obter informações como saúde, educação, gravidez e parto, seja na televisão, na rádio, ou através da internet. Inclusive já existem algumas escolas para pais.

A experiência de cada mulher em ser mãe, é única, pessoal e incomparável. Uma mãe com ou sem marido, biológica ou adotiva, será sempre uma mãe, sem diferenças.

Você está preparada para ser mãe

Para se tomar essa decisão converse com seu parceiro, pois é com ele que você vai compartilhar cada momento da gravidez, essa relação entre os pais é importante para o bebê,  outro fato importante é o custo, ter um bebê aumenta a dispensa e sim custa caro, recomendo que tenham uma economia e planejar essas dispensas.

Manter uma boa alimentação antes e durante a gravidez é muito importante, se planeje para o melhor momento da sua vida sem estresse, sem tensão pois momentos assim podem acarretar a ansiedade e depressão.

Ouvir relatos de experiência de outras mães, é muito recomendável. No entanto, lembre-se cada pessoa é cada pessoa e cada um tem sua orientação então se precisa segui orientações que sejam do seu obstetra.

 Quando uma mulher está determinada de que quer ser mãe, nem sempre consegue na primeira tentativa. Mas, não deve deixe que a insegurança invada sua vida. Tenha paciência. Tudo chega quando tem que chegar. Não se desespere nunca. Eu passei por isso e recomendo que foque em outras atividades.

É importante que busque um bom médico, para ter boas orientações sobre sua fertilidade, possíveis riscos, alimentação, saúde, etc. Não rejeite nenhuma explicação. Assim se sentirá mais segura. Se desejar ter um filho, não acumule dúvidas.


Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It

Amamentar e trabalhar – É possível?Amamentar

O tema da Semana Mundial de Aleitamento Materno de 2015 é: Amamentar e trabalhar – Para dar certo o compromisso é de todos! Eu decidi transformar o slogan numa pergunta: Amamentar e trabalhar – É possível?,  visando promover uma reflexão mais aprofundada sobre a questão, o que é tão complexa que fez a própria WABA (Aliança Mundial para Ação em Aleitamento), entidade promotora da iniciativa em nível mundial, retomar um tema já abordado em 1993, quando o enfoque foi Amamentar – Direito da mulher no trabalho! Passados 22 anos, o que será que mudou? Me digam, gostaria de ouvir vocês!

O apoio para manter a amamentação, cerne da campanha, pode ser realizado de muitas formas. Tradicionalmente, a família oferece suporte à mulher que está amamentando. Porém, em cada sociedade, em particular com a urbanização crescente, é necessário ampliar este círculo de apoio, que pode ser formado por profissionais de saúde capacitados, conselheiros em amamentação, líderes da comunidade, amigas que também são mães e pelos pais e/ou companheiros.

Os Grupos de Mães (ou Grupos de Aconselhamento em Amamentação) apresentam uma ótima relação de custo e benefício. São uma maneira produtiva de se chegar a muitas mulheres de forma mais frequente. Podem ser organizados por qualquer pessoa da comunidade que esteja capacitada no apoio às mães. Geralmente, são estas pessoas treinadas e disponíveis que abrem canais de comunicação para canalizar perguntas e temas de amamentação que as mães tenham interesse. A chave para uma boa prática de amamentação é ter apoio diário permanente em casa e na comunidade. Um exemplo de um Grupo de Mães bem sucedido é o Grupo Aleitamento Materno Solidário do Facebook. Atualmente, o grupo reúne mais de 6 mil membros e conta com o auxílio de profissionais aptos a responder às dúvidas das mães

Amamentar

#EuApoioLeiteMaterno
#SemanaMundialDeAleitamentoMaterno2015

Dr. Moises Chencinski

Com toda certeza, eu não sou o único profissional que fala sobre aleitamento materno. Com toda certeza, eu não sou a pessoa que mais conhece sobre aleitamento materno.

E daí, né?

Com tudo o que tem sido feito até hoje, e apesar de termos muitos profissionais que falam sobre aleitamento materno, muitas pessoas que conhecem mais sobre o aleitamento materno do que eu e com tanta gente qualificada divulgando os benefícios do aleitamento materno, as últimas estatísticas que temos nos mostram que:

01) Taxa de aleitamento na sala de parto – 65%;

02) A média de aleitamento materno exclusivo no Brasil é de 51 dias;

03) Apenas 41% das crianças estão em aleitamento materno exclusivo aos 6 meses;

04) A média de duração de aleitamento materno no Brasil é de 11 meses e 20 dias.

https://euapoioleitematerno.wordpress.com/


Comentários
3
Compartilhe este post
Pin It

Puerpério

O que diz o dicionário: Puerpério; substantivo masculino, período que decorre desde o parto até que os órgãos genitais e o estado geral da mulher voltem às condições anteriores à gestação.

Assim que o bebê nasce é necessário um tempo para adaptação da nova vida, aonde a mãe e o bebê tem para se conhecerem, e fortalecerem os vínculos, com o nascimento do bebê, vem o desconhecido e, muitas vezes, o solitário puerpério (primeiros meses após o parto). Para algumas mulheres, é apenas momentos de alegrias pela chegada do bebê, mas para outras é  considerado um período difícil e que parece não ter fim.

 Com o puerpério a vida fica de cabeça para baixo, tudo é um misto de informações e sentimentos e junto a esse sentimento tem um bebê que depende exclusivamente de você. Imaginem ainda, além de todas as mudanças por conta do novo membro da família, ter de lidar com afazeres domésticos, recepcionar visitas, se manter apresentável e a casa organizada.

Nesse período, o ideal é afastar-se das tarefas e obrigações do dia-a-dia, tentar fazer todo o repouso possível, ambiente calmo e muito contato pele a pele, os protagonistas são a mãe e o bebê. Você “precisa viver o que precisa viver em termos emocionais”  é importante ter apoio, suporte sem ser debilitada, nem diminuída”

Algumas dicas para passar pelo puerpério

Esquecer o relógio e diminuir o contato com o exterior;

Viver plenamente esses momentos;

Dá tempo ao tempo para seu corpo;

Pontue num diário todos os seus pensamentos e sentimentos;

Aproveite todos os momentos para descansar e relaxar;

Aceitar a transformação da identidade feminina.

Vá estabelecendo a sua própria rotina;

Lembre-se uma mamãe saudável e tranquila é garantia de bebê feliz! Caso se sinta demasiado triste, ou seja, durante mais do que alguns dias, e se suspeitar de uma depressão, fale com o seu médico.


Comentários
10
Compartilhe este post
Pin It

Quando estiva grávida das meninas, tinha muito medo de comer alguns alimentos como ovos mal passado e salsicha crua, pois me falaram que não podia, na época nem fui olhar, mais preferir prevenir do que remediar, mais será mesmo que tem restrições para as grávidas, e em busca dessa verdade fui pesquisar.

Sim tem alimentos que podem ser nocivos a saúde das mamães e bebês e é melhor evitar, alguns nutricionista  cortam do cardápio das gestantes alguns alimento não para impedir delas comerem e sim para terem cuidados redobrado evitando assim qualquer problema durante os nove meses.

Trago alguns alimentos para deixar fora da geladeira e dispensa das gestantes

 photo file-tilapia_zpsrvskqlh7.jpg

Carnes e peixes crus

A carnes brancas, e vermelhas tem proteínas e tem que está no cardápio das grávidas, porém esses alimentos consumidos cruos ou mal passadas não prejudica o desenvolvimento do bebê. O problema é a possível contaminação por bactérias e protozoários, que depende da armazenagem e da procedência.
 photo mi_972318157724318_zpswtbaiygq.jpg

Cafés e bebidas energéticas

Bebidas estimulantes,  no caso o café, causam o aumento da frequência cardíaca em todo mundo que as consome. Porém, as gestantes já possuem essa frequência alterada, devido ao desenvolvimento do feto e à maior circulação de sangue dentro do corpo. Investir neste tipo de bebida pode contribuir para que a pressão arterial vá às alturas, o que pode ser prejudicial para o desenvolvimento da criança. Além disso, as bebidas energéticas possuem vários conservantes em sua composição. Como não existem estudos que comprovem a segurança total de seu consumo, melhor passar longe!
 photo Cha-Verde-650 - Copia_zpsyy22qxfi.jpg

Chás

Toda a erva pode ter, em grandes quantidades, substâncias prejudiciais, inclusive inflamatórias ou que afetam o trato gastrointestinal, podendo provocar diarreias. Os chás comuns, como erva-doce, camomila e hortelã, podem ser tomados sem preocupação, desde que moderadamente. Chás mate, verde, branco, preto, canela e sene devem ser evitados.
 photo e201Bebida-alcolica-d-mau-hlito - Copia_zpso1svtomf.jpg

Bebidas alcoólicas

O  álcool está associado à malformação fetal. Ele pode ultrapassar a barreira placentária e prejudicar o desenvolvimento do bebê ou evoluir para uma gravidez prematura.
 photo f73510b91889_zpskbvnuhn2.jpg

Embutidos

 Alimentos como presunto, salsicha, salame e mortadela são cheios de conservantes. Todo alimento artificial deve ser evitado, devido à presença dessas e de outras substâncias químicas, como os estabilizantes. “Esses componentes são contraindicados durante a gravidez porque, neste período, o sistema imunológico da mulher se torna mais ativo. Daí que o organismo pode reagir exageradamente aos compostos químicos, o que resultaria em uma alergia.
 photo 53b2cc01f2969_zpsx3hzm0sl.jpg

Ovos

 Mal fritos ou cozidos os ovos trazem bactérias que podem causar  entre complicações no e parto prematuro,sem contar que provoca um grave quadro de diarreia e vômitos. E a gravidez é um péssimo momento para enfrentar uma crise dessas. Mas, você não precisa cortar os ovos do seu cardápio. A dica é consumi-los fritos ou cozidos, desde que a gema esteja dura. E nunca negligencie as receitas que levam ovo cru em sua composição e que, portanto, também podem representar riscos. É o caso das maioneses.
 photo soda1025-e1319633915792_zpssedtojyz.jpg

Refrigerantes

 

Podem causar estufamento gástrico, mas não são proibidas Em casos de gastrite ou refluxo, o problema pode ser intensificado.  E as versões zero e light possuem muito sódio, que podem mexer com a pressão arterial, o que é particularmente prejudicial na gravidez.

Esses alimentos consumidos de maneira exagerada, ou de maneira errada podem sim provocar partos, prematuros e complicações no parto o melhor é mesmo ter cuidados e uma boa alimentação na gravidez.


Compartilhe este post
Pin It