As vacinas de ambas são seguras e protegem a saúde do bebê e criança, contudo há benefícios na rede privada

Apesar de ambas terem ótima qualidade e garantirem a proteção do seu bebê, algumas vacinas oferecidas na rede pública são diferentes daquelas existentes na rede privada. Saiba quais são essas diferenças e entenda como isso afeta a saúde do seu filho.

AS VACINAS

Algumas vacinas

As vacinas Tríplice bacteriana DTPa e tríplice bacteriana DTPW

As vacinas tríplices bacterianas protegem o bebê contra difteria, coqueluche e tétano. Na rede pública está disponível a DTPw que é feita a partir de células inteiras da bactéria. Já na rede privada existe a versão DTPa que é acelular, ou seja, não é feita com as células inteiras, mas sim com proteínas. “Ela é uma vacina mais purificada, só contém o que realmente é necessário para proteger o ser humano e por isso as chances de ocorrerem eventos adversos são menos frequentes e intensas”, explica a pediatra Isabella Ballalai, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). É importante ressaltar que na vacina DTPw, fornecida na rede pública, as chances de ocorrerem eventos adversos já são muito baixas.

Caso seu bebê tenha tomada uma dose da DTPw, que é oferecida na rede pública, e tenha apresentado febre alta por um tempo prolongado e outras reações adversas é recomendado passar a oferecer a DTPa. “Quem começou com uma pode completar o esquema com a mesma ou com a outra (são cinco doses em 2, 4, 6, 15 meses e 4 a 6 anos). Mas a proteção oferecida pelas duas vacinas é adequada contra a difteria, tétano e coqueluche, desde que seguindo os esquemas vacinais propostos”, explica o pediatra Yechiel Moisés Chencinski, membro do departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

Vacina Haemophilus influenzae tipo b e seus reforços

Haemophiluis influenzae tipo B é uma bactéria que pode causar uma série de doenças infecciosas com complicações graves, como: pneumonia, dor de ouvido, inflamação na epiglote, meningite, inflamação nas articulações, entre outros.

A vacina contra esta bactéria está disponível tanto na rede pública quanto na privada, com a diferença de que na rede privada há uma dose a mais. “O esquema padrão inicial dessa vacina é de 4 doses, que seriam 3 mais o reforço. Contudo, quando o Ministério da Saúde adotou essa vacina, a imunização em massa permitiu reduzir a circulação da bactéria e quando ela é praticamente eliminada, três doses são o suficiente. Dar a quarta dose é mais um cuidado extremo do que uma necessidade”, diz Isabella Ballalai.

Vacina rotavirus monovalente e vacina rotavirus pentavalente

A vacina de rotavírus é uma vacina de vírus vivo, oral. Ela pode ser monovalente, que protege apenas contra um sorotipo de rotavírus, mas oferece proteção cruzada contra outro sorotipo e é dada em duas doses. A vacina rotavirus monovalente é oferecida na rede pública.

A outra opção é a vacina pentavalente, que está presente na rede privada. Ela oferece imunidade contra 5 sorotipos diferente de rotavírus e é feita na clínica em três doses. Bebês que iniciam a vacinação com uma determinada vacina devem idealmente terminar o esquema vacinal com o mesmo produto. “Mas, na falta do mesmo produto, a vacinação não deve ser interrompida e a vacina que estiver disponível deverá ser administrada. Caso uma das doses tenha sido da vacina pentavalente, o total de três doses deverá ser realizado. E é importante ter atenção aos intervalos e datas limite para a aplicação dessas vacinas”, diz Yechiel Moisés Chencinski. Assim, a vacina pentavalente oferece uma proteção mais ampla.

As vacinas pneumocócica conjugada 10 e pneumocócica conjugada 13

As vacinas pneumocócicas conjugadas protegem as crianças das doenças causadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, como pneumonia, meningite e otite média aguda. A vacina pneumocócica conjugada (VPC 10), que está presente na rede pública, protege contra 10 subtipos de pneumococos. Já a vacina pneumocócica conjugada (VPC 13) irá proteger contra 13 subtipos de pneumococos. “Os principais pneumococos estão presentes na VPC10, mas a VPC13 irá proteger contra mais três subtipos, fazendo com que ela seja uma opção interessante”, constata Isabella Ballalai.

A VPC 13conta com 3 doses dadas aos 2, 4 e 6 meses e um reforço de 12 a 15 meses. “Se começar o esquema no posto de saúde, pode-se aplicar inicialmente a VPC10 (2 doses) e completar a 3ª dose e o reforço com a VPC13. Crianças com esquema completo de VPC10 podem se beneficiar com uma dose adicional de VPC13 com o objetivo de ampliar a proteção em crianças de até 5 anos, respeitando o intervalo mínimo de dois meses da última dose”, explica Yechiel Moisés Chencinski.

Vacina influenza

Na rede pública a vacina influenza, que protege contra a gripe, só é oferecida até os 5 anos de idade. A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomenda que todos sejam vacinados anualmente contra a influenza, independente da idade. “No Brasil não conseguimos doses para toda a população, por isso é preciso ter prioridades, como as crianças até 5 anos de idade”, explica Isabella Ballalai. Contudo, na rede privada é possível tomar esta vacina, sem pertencer aos grupos de risco.

As Vacinas Meningocócica conjugada C e Meningocócica conjugada ACWY

A vacina meningocócica conjugada C está presente na rede pública, enquanto a versão ACWY só pode ser encontrada na rede privada. Ambas previnem meningites. “Com a diferença que meningocócica conjugada C protege apenas contra o tipo C e a versão ACWY protege contra esses quatro tipos. O C é o responsável por 70% das meningocócicas do país, contudo o tipo W vem aumentando bastante sua participação, e já é a causa de 20% dos casos de meningocócicas no sul do Brasil”, alerta Isabella Ballalai. Por isso, a meningocócica conjugada ACWY é uma boa alternativa.

Vacina contra o HPV

A rede pública já oferece a vacina contra o HPV para meninas de 9 a 13 anos. “O problema é que o benefício não se estende aos meninos e a Sociedade Brasileira de Imunizações recomenda que eles também tomem esta vacina, seguindo o mesmo esquema de doses e idade”, explica Isabella Ballalai. Na rede privada os meninos podem tomar a vacina contra o HPV.

Vacina contra a hepatite A

A rede pública vacina as crianças contra a hepatite A com um ano de idade. “Contudo a rede privada segue a recomendação da SBIm e seis meses após esta primeira dose, aplica uma segunda”, observa Isabella Ballalai. Uma única dose desta vacina garante proteção até os 10 anos, mas não há certeza quanto a vida adulta. A segunda dose irá garantir a imunidade contra a hepatite A também na vida adulta.

Vacina varicela

A vacina varicela irá proteger as crianças contra a catapora. Contudo, a rede pública oferece apenas uma dose dela. “Isto não é o suficiente para prevenir a doença, apenas para evitar que a pessoa contraia versões mais graves dela. Na rede privada são oferecidas duas doses, sendo que a segunda irá de fato proteger contra a doença”, explica Isabella Ballalai.

Fonte: https://goo.gl/yv2xA9

Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It

O Milagre da vida

O desenvolvimento de um ser dentro de uma mulher é um milagre da vida, da criação.

O milagre da vida nunca deixará de surpreender, seja humano ou outra forma de vida. É também algo que sabemos como ele é criado, mas nunca realmente ver o que realmente acontece, exceto quando a varredura de ultra-som ocasional é tomada e uma fotografia em preto e branco granulado dado a nós como uma lembrança.

Eu também olho para trás para os dias de aulas de biologia na escola e lembro de ver esboços de um bebê em um útero, mas parecia mais como um estrangeiro do que um bebê real.

Como as coisas são diferentes hoje graças à tecnologia moderna, CGI (Computer Generated Image) reproduções e uma compreensão mais completa do que realmente ocorre durante a gravidez, este resultado é um vídeo incrível. Já não precisamos olhar para imagens fuzzy em livros, quando podemos ver o milagre da vida se desdobrar diante dos nossos olhos em uma tela.

O Milagre da vida humana um bebê se formando no ventre

 

Não há necessidade de passar por uma descrição de todo o processo – você pode ver tudo aqui. No entanto, é difícil não refletir uma vez que você assistiu o vídeo.

Como a vida é incrível e como transformar de um ovo em um bebê totalmente crescido pronto para começar a nossa vida no mundo “exterior”.

O criador deste vídeo claramente tem uma compreensão completa da enormidade da criação da vida como eles escolheram uma trilha sonora muito emocionante para ir com ele.

Se você estava em qualquer dúvida antes, este é um vídeo muito importante e significativo.

Como é legal como um pai para saber que quando se trata de explicar os pássaros e as abelhas, ou fatos da vida de seus filhos, você será capaz de usar um vídeo fantástico como este.

Fonte: https://goo.gl/ZGZcfT

 


Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It

Desenvolvimento do Bebê Semana a Semana
A espera de um filho é maravilhoso nada se compara a essa emoção de ter um ser crescendo dentro da gente, cada chute, os dias de ultra som, tudo isso marcar a trajetória da melhor espera de uma mulher.
Se está querendo engravidar ou já tem um baby crescendo dentro de você, então esse post é para você saber cada desenvolvimento do seu bebê .

Desenvolvimento do Bebê

Desenvolvimento do Bebê

Desenvolvimento do Bebê e da Grávida

Semana 1 – Ocorre a ovulação.
Semana 2 – O corpo se prepara para as mudanças.
Semana 3 – Ocorre a fecundação, e o óvulo agora é um ovo. Inicia-se a jornada do futuro bebé.
Semana 4 –Os órgãos começam a formar.
Semana 5 – Os órgãos desenvolvem a grande velocidade.
Semana 6 – O coração do bebé bate agora com força.
Semana 7 – O bebé já ouvi.
Semana 8 –O bebê já tem 2 cm.
Semana 9 –O bebê movimenta-se livremente na barriga, tendo o tamanho de uma azeitona.
Semana 10 – O feto já tem os órgãos quase definidos, está na altura de crescer e amadurecer.
Semana 11 – Geralmente, aparecem os enjoos.
Semana 12 – O bebê já tem unhas.
Semana 13 – O bebê está em crescimento acelerado.
Semana 14 – O bebé já tem paladar. Nesta semana aparece a linha na barriga da grávida.
Semana 15 – Nesta semana, os órgãos sexuais do bebé já estão definidos.
Semana 16 – Os órgãos estão completamente definidos.
Semana 17 – O bebé começa a ter tamanho suficiente para que a mãe o sinta a mexer.
Semana 18 – Fica mais fácil visualizar o sexo do bebé.
Semana 19 – Podem surgir as celulites na futura mamãe. O bebé desenvolve a inteligência.
Semana 20 – O bebé tem agora 16 cm. Na grávida, pode aparecer o colostro nos mamilos.
Semana 21 – O bebé começa a ganhar impressões digitais.
Semana 22 – O rosto do bebé começa a ser definido.
Semana 23 – O bebé começa a conseguir mover os olhos, começando a treinar a visão.
Semana 24 – O bebé tem agora meio quilo, e começa agora a ganhar peso de forma mais rápida.
Semana 25 – Crescimento dos cabelos.
Semana 26 – Os pulmões estão em pleno funcionamento.
Semana 27 – O bebé já abre e fecha os olhos. Surgem com maior frequência os desejos na grávida.
Semana 28 – O bebé mexe-se muito e começa a ficar rechonchudo.
Semana 29 – O bebé posiciona-se com a cabeça junto ao útero.
Semana 30 – O bebé já percebe a diferença de luz.
Semana 31 – Ganho de peso a grande velocidade.
Semana 32 – A grávida sente o bebé a mexer-se com grande intensidade.
Semana 33 – O bebé tem agora 2 quilos.
Semana 34 – Os órgão estão prontos.
Semana 35 – O bebé já sabe mamar.
Semana 36 – O desenvolvimento consiste agora nos últimos aperfeiçoamentos.
Semana 37 – O bebé já pode nascer.
Semana 38 – O mecônio já está formado.
Semana 39 – Pode ter contrações.
Semana 40 – Se tiver contrações podem ser muito intensas, levando ao parto. Nascimento do bebé. Caso não ocorra bom procurar um médico.


Comentários
5
Compartilhe este post
Pin It