Filho segue os passos dos Pais

Olá mamães, qual o filho não quer seguir os passos do pai ou da mãe, eu mesmo tenho orgulho dos meus, e quem nunca ouviu dos filhos a famosa frase “mamãe quando crescer vou ser que nem você.” Hoje quero falar sobre a Angélica apresentadora de televisão que deixou sua carreira para cuidar da família e não se arrepende disso.

PASSOS

Depois de um mês do acidente de avião que a Angélica sofreu com o marido e os três filhos ela vê hoje o acontecimento como uma passagem enriquecedora.

O ditado é velho e diz que “há males que vêm para o bem”. Aos 42 anos, Angélica tem motivos para acreditar nisso.

— É bem aquela história de você dar mais valor às coisas, sabe? Começamos a ter um olhar que não tínhamos antes, a dar importância ao que realmente vale a pena. É uma gratidão com a vida, uma alegria de estar aqui. Fortalecemos os nossos laços. O acidente vai fazer aniversário e nós estamos celebrando a vida — diz a loura, que não faz a linha Pollyana, de acreditar que tudo está sempre às mil maravilhas: — Viajar ficou mais difícil, mas continuamos. Não dá para parar. Acho que ficou mais complicado para mim do que para eles. Sempre tive receio de avião, nunca me senti confortável. Depois das crianças, então, fiquei mais medrosa.

Angélica diz que a filha caçula, Eva, deve seguir seus passos

Passos

Embora não queira interferir nos rumos profissionais dos herdeiros, a apresentadora acredita que a caçula, de 3 anos, tem tudo para seguir seus passos.

Comecei a trabalhar cedo, mas era tímida. Eva sou eu grande. Tenho até medo de falar e o universo escutar. Adora foto, ama se produzir…

Angélica é segura. Fala com calma. A maturidade é um dos benefícios que ela credita à idade e à maternidade.

 Você precisa tomar decisões, educar, dar exemplos — destaca a loura, que elege a relação com os filhos a maior realização de sua vida: — É um amor louco, uma entrega! É muito mais do que eu pensava. Não sou daquelas que só mandam fazer coisas. Sou bagunceira, parceira, adoro brincar com eles.

Não sinto falta do que vivi (faz uma pausa). Quer dizer, eu acho que tenho saudade daquele carinho do público. Mantinha um contato forte com a plateia. Tenho tanto afeto por minha história… — pontua.

O maridão faz questão de se mostrar completamente apaixonado:

— Eu vivo para fazê-la feliz. Angélica é meu motor de popa. Sempre apoia tudo o que faço. Vibra! Ao mesmo tempo, é meu porto seguro e me faz querer estar em casa o maior tempo possível. Juntos, nós somos muito melhores!

Ter uma família feliz é a base de tudo, pois aonde reina a felicidade, existe amor verdadeiro nesse lar.


Comentários
0
Compartilhe este post
Pin It

A Criação com Apego Meu Voto é Sim

Olá mamães, hoje quero falar de um assunto que amo e apoio a criação com apego, mais o que seria essa criação, qual sua importância, espero com esse texto trazer um pouco dessa maravilhosa criação. Então vamos lá

CRIACAO COM APEGO

Pais que praticam criação com apego

 

O que é criação com apego?

Criação com apego é um termo dado a um conjunto de ferramentas que ajudam os pais a criar vínculos com seus filhos, através do atendimento consistente e amoroso das necessidades do bebê. Não impõe regras, mas, sim, transmite orientações fundadas em investigações sérias e conhecidas por serem eficazes em auxiliar crianças a desenvolverem ligações seguras.

Se a criação com apego não segue regras, então sou guiada apenas pelo coração e amor de mãe. Ainda vou além, para mim é uma criação com muito afeto, ativa, consciente, na qual os pais e cuidam, zelam pelo bem-estar e, essa consequência, leva ao desenvolvimento integral da cria.

Momentos com seu filho de demonstram criação com apego

Preparando para a gestação, nascimento e criação;

A amamentação é uma das maneiras mais primitivas que uma mãe pode iniciar um vínculo de apego seguro com seu bebê;

Respondendo com sensibilidade, atendendo apropriadamente às necessidades do filho;

Usando o contato afetivo, abrace, aconchegue, faça carinhos, se possível use o sling;

Garantindo um sono seguro, física e emocionalmente, bebês possuem necessidades à noite (assim como de dia); seja devido à fome, solidão, medo, frio ou calor. Faça cama compartilhada se assim desejar, coloque o berço ou a cama em seu quarto;

Provendo cuidado consistente e amoroso, é a presença consistente do pai ou da mãe com amor para o desenvolvimento do bebê e para o vínculo de apego seguro;

Praticando a disciplina positiva, os pais devem tratar seus filhos da maneira que eles desejam ser tratados;

CRIACAO COM APEGO

5 motivos para aderir à Criação com Apego

  1. Ajuda na tarefa de criar os filhos.
  2. Benefícios à criança e à família, no ponto de vista emocional, cognitivo e neurocientífico.
  3. Fortalecimento do vínculo de pais e filho, incentivando, sobretudo, vínculos fortes e saudáveis entre pais e filho. E isso não se limita apenas ao período em que o filho é bebê.
  1. Amadurecimento emocional. Com a Criação com Apego espera-se a formação de filhos autoconfiantes e empáticos, exatamente porque a eles foi dada total segurança emocional.
  1. É baseada em estudos sérios. Não são conselhos e nem regras. A Criação com Apego transmite orientações fundadas em investigações sérias e conhecidas por serem eficazes em auxiliar crianças a desenvolverem ligações seguras.

Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It

Como ensinar seu filho a obedecer

Olá mamães, sei que fazer o filho obedecer não é tarefa fácil, para nós mães, brigamos, nós estressamos diante da teimosia dos pequenos.

Em muitas situações eles querem disputar quem manda em quem, e parece que o seu filho sempre vence.

OBEDECER

Ensinar o filho a Obedecer

O que acontece

Quando você diz a ele para fazer alguma coisa que ele não quer, ele a ignora.

Quando você chamar ele dez vezes, e ele nem sai do lugar.

Quando você diz a ele para não fazer alguma coisa que ele quer, ele faz birra.

Quando você pede pra ele parar de correr para não cai, e é em vão.

Muitas vezes já me perguntei se isso é só uma fase, que devo simplesmente esperar que ela cresça para melhorar, mas como mãe de uma adolescente, confesso que ainda existem teimosias, apenas mudam os tipos.

Vida de mãe não é fácil, nunca termina e é igual a jogo de vídeo game, passamos para a próxima fase e as novas dificuldades

Mais como poderei ensinar meu filho a obedecer sem bater e de uma maneira que eles me escutem. Bom não tive essas informações quando tive a Isabelle, mais hoje que tenho venho fazendo o meu possível com mãe de duas.

O por que o pequeno não quer obedecer

Quando  o bebê é recém-nascido, é necessário está a disposição todo o tempo, atender as necessidade do bebê, o que é normal e apropriado, pois um bebê precisa de constante atenção dos pais.

O tempo passa e sendo tratado meses dessa maneira, é normal que o filho imagine que seja o centro de tudo na casa. Com mais ou menos 2 anos a realidade bate a sua porta, ele acreditar que os pais tem que obedecer a ele. E isso é um choque, e as reações são birras, testam a autoridade e recusam a obedecer.

Ai entra os pais no que devem fazer, ser firmes usar a autoridade de pais, falando com clareza o que o filho deve fazer, mais muitas vezes somos ignorados, o que podemos fazer?

Tome a liderança. É necessário tomar a liderança. Por isso, você precisa exercer sua autoridade, mas de forma equilibrada.

Aplique a disciplina. Disciplina é um treinamento que produz obediência , seja na forma de regras, ou castigos. Naturalmente a disciplina jamais deve ser injusta ou agressiva.

Seja claro. Não apenas peça aos filhos que os obedeçam, por que essa estratégia pode diminuir a autoridade do pai ou da mãe e dar abertura ao filho para avaliar o pedido e decidir se o aceita ou não.

Seja firme. Se você disser “não”, seja firme e não volte na sua decisão. Cumpra com sua palavra. Não fique negociando com seu filho nem entre numa discussão sem fim sobre por que você tomou essa decisão.

Seja amoroso. A família não é uma democracia nem uma ditadura. Ela é uma instituição de Deus aonde os filhos são orientados de forma amorosa a fim de se tornarem adultos responsáveis.

Disciplinando seu filho você o ajudará a ter certeza de que você o ama


Comentários
3
Compartilhe este post
Pin It

Ter filho não é pra todo Mundo

Ter filho não é pra todo Mundo

Será que todas as mulheres precisam ter filho? Acredito que não. Cuidar de uma criança, além de ser muita responsabilidade, dá muito trabalho.

TER FILHO

Ter filho não é pra todo Mundo

Crianças precisam e necessitam de amor, carinho e muita paciência, pois elas podem chorar a noite toda, nem sempre dormem bem, precisam de alimentação, banho, cuidados, higiene, além de ser educadas e bem acompanhadas até crescerem e serem independentes.

Um filho precisa da presença dos pais, enquanto estão pequeno precisam da mãe a maior parte do tempo, ele dependente dela exclusivamente nos primeiros meses.

 Precisamos ser sinceros, nem todos querem arcar com esse ônus. Talvez adiando esse projeto de ser mãe, ou até não tendo filhos, não são todas as pessoas que querem priorizar suas vidas para o novo membro da família.

Ter filho qualquer um pode ter, ser pais é diferente, é necessário dá atenção, saber que ele necessita do seu tempo, do seu afeto, presença constante, amor incondicional.

Saber que os momentos difíceis virão e terão que passar por cada fase juntos, que não saberá o que fazer muitas vezes, e terá que seguir o seu instinto.

Terão momentos de brincadeira, falar sério, educar, e impor limites.

Vejo tantas mães tendo filho, e jogando fora, outras que tem e cuidam de qualquer forma, deixando com qualquer um, sem se preocupar, como se seu filho fosse qualquer coisa. Volto a repetir filho não é para todo mundo.

Não são todos que querem largar sua rotina de festas, noites de badalações. Então o melhor é planejar, ter filho é uma escolha e não algo que acontece, e como toda escolha é necessário abrir mão de certas coisas, pois hoje a vida oferece muitas possibilidades.

Ser mãe não é uma obrigação e ter em mente que a infância determina a vida de um adulto, que os primeiros anos é a base da construção da personalidade de um individuo saudável que irá fazer parte da sociedade.

O que vem acontecendo hoje no mundo, não é apenas fruto de dificuldades econômicas e sociais, mas da falta de amor, educação e limites que uma criança não recebe quando se é necessário em sua vida.

Existem fatos que os pais nem aparecem para uma simples reunião de pais, não tem tempo de levar o filho ao médico, e são substituídos por babá. Se você não tem tempo, não tenha filho.

Antes de querer assumir a maternidade ou a paternidade, pense, análise se pergunte. Teremos tempo para cuidar de um filho? Vamos ter condições de participar intensamente da vida desse novo membro da família? Se as pessoas começarem a analisar suas vidas, tenho certeza de que o mundo pode melhorar.


Comentários
4
Compartilhe este post
Pin It