A Mais Linda Canção

LINDA CANÇÃO

linda canção

Mãe é tudo de Bom!!!

Mãe é a mão amiga na hora em que se precisa,
É o calor do abraço que protege do frio,
É os braços que aconchega e aproxima.

Mãe é sombra em que descansamos e o berço que nos embala,
Mãe é o colo em que levemente adormecemos,
É a base em que vivemos e crescemos,
Mãe é tudo de Bom! Mãe querida tu és o amor…

Mãe é a brisa que refresca e a chuva em que a criança faz a festa,
Mãe é a brincadeira na grama, no balanço ou na lama, é liberdade e favor.
Mãe é consolo quando choramos, é conforto quando sofremos,
Mãe é tudo de bom! Mãe é o seio do amor.

Mãe é o beijo que faz bem,
É o carinho que acalma, é o toque que cura,
Mãe é voz doce de acalento,
Mãe é beleza e ternura.

Mãe é a voz de uma linda melodia,
É companhia na noite escura e a luz no raiar do dia,
Mãe é socorro e alimento, é energia e sustento,
Mãe é paixão e sentimento,

Mãe é eterna e nunca morre,
Passa tudo, passa o tempo,
Mas seu amor é inesquecível,
No peito se guarda por dentro.

Mãe é o sorriso e alegria, é emoção que contagia,
é paz, amor e inspiração,
Mãe é a força sem medida, é repouso é guarida, é perfume e a flor,
Mãe é uma dádiva divina, que não se entende e nem se explica,
Mas de tudo é a explicação,
Mãe é simplesmente tudo, mãe é tudo de bom!!!

Mãe é amiga e companheira, é fiel e verdadeira,
Nos entende como ninguém.
Mãe é o valor incalculável, é um ser iluminado,
Feliz é aquele que a mãe tem.

Mãe abençoa e é abençoada,
É quem nos guia na estrada,
Mostra o caminho a seguir.
Mãe não mede a distancia,
A fé de mãe sempre alcança,
Quer ver o filho a sorrir.

Mãe cuida e se preocupa, às vezes chora e se machuca,
Mas faz de tudo por amor,
Aconselha, explica e ensina,
Com paciência se dedica,
Do filho nunca abre mão,
Mãe é um presente dado por Deus,
É quem completa a nossa vida,
é parte do nosso coração.
Mãe é assim, é simplesmente tudo de bom!!!

Autor: Josias Silva (js)

Vejam mamães que lindo e emocionante este vídeo. Cliquem na imagem para assistir.

Mãe é tudo de Bom!!!

Cristina Mel

 

 


Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It

Depois de duas gestações, blogueira compartilha as mudanças pelas quais seu corpo passou e ressalta a importância de se amar independentemente da forma física.

CORPO

À esquerda é o meu corpo antes de ter filhos.

Não, essa não é uma foto de antes e depois de perder peso. Mas é uma história de vitória.

Eu escrevo isso do meu coração. Dói.

Sem marcas ou cicatrizes do piercing no umbigo. Um umbigo que era alto. Uma barriga reta. Eu estava sempre de dieta naquela época. E essa foi a melhor dieta que eu fiz. Eu costumava tirar fotos do meu progresso. Publicar essa foto não era ruim, era como se eu estivesse usando um biquíni. É socialmente aceitável.

Eu tirava fotos do meu progresso porque ele significava que eu estava perto de ter um peso que me faria amar a mim mesma. Eu não comia carboidratos e quase nenhum vegetal. Apenas carne. Mas eu adorava porque eu estava perdendo peso rapidamente e quanto mais meus ossos ficavam salientes, mais eu me valorizava. Eu acabei passando a odiar carne e a estar sempre com azia. Mas ainda assim eu olhava para essa foto, para essa imagem de mim mesma, como se fosse gorda. Não tinha nada errado com a minha aparência. Meu corpo era meu.

Ninguém me falava nada, as pessoas comentavam que eu parecia saudável. Lembro-me das pessoas perguntando qual era minha rotina de exercícios… Eles me deixavam admirada. Eu me deixava admirada! Eu comprei um guarda-roupa todo novo. Eu estava tão orgulhosa. Eu ostentava.

Na foto da direita sou eu atualmente. Marcas de estrias. Um umbigo caído. Maior, com menos ossos aparentes e mais marquinhas de celulite. As pessoas não querem ver essa foto. De repente, não está mais ok. Não é mais prazeroso ver. Não é um corpo para ser admirado.

Esse corpo não é resultado só da carne. É resultado de comer tudo. Frutas, vegetais, carboidratos, massa, arroz, bolo, chocolate… Às vezes até 20 nuggets de frango. Peixe… Não é sempre saudável, mas 99% é. Os nuggets são só para quando eu estou cansada… Juro.

As marcas e as estrias e a barriga nada firme são porque eu fiz seres humanos. Porque eu comi um pouco mais de bolo, porque eu bebi um pouco mais de vinho. Porque eu fazia bolos de caneca às nove da noite e me aconchegava no sofá com o meu marido. Mas por alguma razão, eu não gostava desse corpo. Era triste.

Esse corpo não merecia uma lingerie sexy ou um guarda-roupa novo. Às vezes eu nem queria tirar fotos de grávida porque eu tinha vergonha do quão grande eu estava. Eu não admirava esse corpo.

Eu sentia como se as pessoas estivessem me forçando a amar meu corpo. “Você só tem um”… Bem, eu não me importo. Eu quero ser magra. Mas droga, quando eu era, não me sentia feliz. E certamente não era saudável.

Mas você quer saber? Eu alcancei mais coisas com esse corpo do que consegui com aquele antigo. Eu comi comidas mais gostosas. Eu vivi mais, eu me entreguei mais, eu curti mais. Eu criei vida. Esse corpo, ESSE sim deveria ser celebrado e admirado.

Eu deveria me admirar. Eu deveria me amar.

Eu entendo isso agora. Celebrar todos. Todos os tipos de corpo e todas as histórias que esses corpos carregam. Acima disso, a PESSOA deveria ser celebrada. Corpos saudáveis são celebrados. Mas saudável deveria ser aquilo pelo que a gente luta. Mentes saudáveis, jornadas saudáveis e todas as formas em que isso pode se refletir no nosso corpo – é isso que a gente deveria admirar.

Eu ainda quero parecer como na primeira foto, sem dúvidas. Eu sinto falta daquele corpo e isso me deixa triste. Mas eu quero chegar lá de um jeito saudável física e mentalmente. Eu quero ficar orgulhosa e estar em paz com esse corpo. E eu quero gostar de como sou agora.

Não… Eu quero amar como eu sou agora.

Não importa o seu tamanho, se você veste PP ou XG. Você merece celebrar. Lingerie sexy E roupas novas.

Então ame seu corpo, porque é verdade verdadeira, é o único que você tem (pelo menos nessa vida)!

E de qualquer forma ainda é sexy usar as “calcinhas da vovó”! Oba
Mum on the Run


Comentários
3
Compartilhe este post
Pin It

Lidando com os palpites alheios

Os palpites alheios, são irritantes e cada dia parece que os palpiteiros só aumentam. Não acredito que exista alguém no mundo que não tenha ouvido algum palpite de alguém te dizendo o que fazer ou como fazer algo. Caso exista parabéns você é um sortudo rs

Infelizmente sempre tem alguém disposto a criticar, a te dizer o que você está fazendo errado ou para te sugerir algo que não tem nada a ver.

PALPITES

Chega de tantos palpites

Geralmente são pessoas que não sabem nem o que fazer com a sua própria vida, mas quando é para palpitar ela tem todas as respostas.

E deve ser por isso que ela tenha essa necessidade de dar sugestões não pedidas, pois resolver seus próprios problemas, implica em mudança, força de vontade, dedicação e esforço. O palpite alheio dá menos trabalho e ajuda ao palpiteiro por alguns instantes a esquecer a sua própria tempestade.

Sim eu já cometi esse erro, sem nem perceber que estava fazendo isso, em uma conversa com o esposo dei o meu palpite e não meu apoio. O que fui chamada atenção e foi ai então que minha ficha caiu.

Não seja esse tipo de pessoa mesmo sem querer, estou me policiando muito no que falar e sempre tentando dar uma ajuda e não palpites.

PALPITES

Como lida com esse palpites

E quando somos mães, parece que esses palpites aumentam, pois ouvimos palpites de tudo o que fazemos com nossos filhos, todos acham que sabe  mais do que você como  cuidar e educar seu filho, e com todos esses palpites,  acabamos nos questionando se somos ou não boas mães para os nossos filhos.

Depois de duas filhas, e a maturidade que veio com a idade, aprendi que o que realmente importa é o seu coração, seu instinto como mãe, o que dar certo pra algumas mães pode não dar certo com seu filho. Imagina se todos pensassem igualmente e agissem do mesmo modo. Seriamos robôs rs

Não dê atenção para os palpites alheios, caso contrário, você vai pirar tentando explicar tudo que faz e vai deixar de viver a sua vida curtindo seu filho tentando ser a mãe que todos querem.


Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It

Amamentação prolongada dúvidas e mitos que você ainda acredita

Mesmo com todos os esclarecimentos sobre amamentação prolongada, muitas mamães ainda têm dúvidas sobre o assunto e é necessário desmistificar alguns mitos. Até quando devo amamentar ? E qual preocupação devo ter nessa fase da vida do bebê? Estão entre os temas mais pesquisados na net.

amamentação

Amamentação prolongada

As dúvidas aumentam ainda quando as mães optam por prolongar essa fase da amamentação. De acordo com recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), o leite materno deve ser oferecido até, pelo menos, dois anos completos de vida.

Ainda acrescento que não existe nada que impeça a mamãe de amamentar seu filho após os dois anos de idade, desde que o leite materno esteja inserido em uma dieta alimentar equilibrada. O desmame precisa ser consciente e natural, ou seja, uma decisão da mãe juntamente com o bebê.

Existem casos também que da parte da mãe há uma dependência de ainda querer amamentar o filho, se for um caso sério é recomendado um acompanhamento com psicólogos.

Algumas dúvidas sobre amamentação prolongada

Amamentar enfraquece a mãe?

Não enfraquece, se a mãe se alimenta direito. A mãe necessita de 500 calorias durante o período de amamentação e não interfere se o bebê mama 30 minutos ou 1 hora. Alimentos naturais, menos industrializados e manter uma dieta equilibrada é o recomendado.

Existe leite fraco?

Mito. Não existe leite fraco. O leite é o alimento mais indicado para o bebê é completo.

Posso amamentar durante uma nova gestação?

Sim, as mães devem continuar amamentando normal mente. Só existem restrições em casos de risco de aborto ou de parto prematuro. Ao nascimento do outro bebê, o sabor do leite será modificado.

A mamãe que amamenta pode consumir bebidas alcoólicas?

É contraindicado, assim como outras drogas lícitas e também ilícitas.

Espero que tenha ajudado você,dúvidas e sugestões mande um e-mail.


Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It