Licença-paternidade por 20 dias

A importância da Licença-paternidade por 20 dias

Todas as mamães sentem na pele o que é o papai passar a licença-paternidade apenas por 5 dias com a mamãe e o bebê.

LICENCA-PATERNIDADE

Licença-paternidade

Lembrando que, muitas mamães chegam a passar até 4 dias na maternidade  a depender do parto e já está contando com a licença paternidade, o que prejudica a primeira infância, pois que dar inicio ao nascimento da criança e não diante da necessidade da família.

Mais tudo isso vai mudar pois nessa última quarta 03 de março, foi aprovado no senado, a Presidente Dilma aprovou nessa terça (08.03) e hoje dia 09 no Diário Oficial, para alegria de  muitos papais e bem estar da mãe e do bebê, o projeto que institui o marco legal da primeira infância, que, entre outros pontos, permite que as empresas ampliem de 5 para 20 dias a duração da licença-paternidade.

Para o pai mais dias de licença-paternidade é crucial desde o acompanhamento do pré-natal, no apoio pós-parto e também no vínculo que ele cria com o bebê seja presente.

Pois um pai em casa, dando o apoio à mulher, favorece a amamentação em um período crítico, em que a mamãe e o bebê precisam se adaptar ao processo de amamentação. É aí que costumam aparecer os problemas. E se a mulher não estiver amparada, há uma tendência maior de se desistir da amamentação e passar para as fórmulas (leite em pó).

LICENCA-PATERNIDADE

Licença-paternidade

O aumento de dias da licença beneficia também as contas do país, já que bebês que mamam por mais tempo ficam mais protegidos de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. E bebês menos doentes oneram menos os serviços de saúde pública.

Um outro ponto de vista ainda maior é o  envolvimento do pai na primeira infância auxiliando assim no desenvolvimento do bebê a longo prazo. E destacando com a extensão da licença-paternidade diminuindo a desigualdade de gêneros no mercado de trabalho e mudança do comportamento das famílias quanto à divisão de tarefas domésticas.


Comentários
5
Compartilhe este post
Pin It

Ser mãe é aprender a cada dia com as filhas, mesmo elas sendo pequenas

FILHAS

10 Coisas que aprendi com minhas filhas

Nestes meus 11 anos exercendo o meu papel de mãe, o trabalho mais difícil, que já exerci é também o mais prazeroso e recompensador do mundo, venho descobrindo que ser mãe é ensinar todos os dias, mas é aprender muito mais. Porque cada vez que eu digo as minhas filhas como tem que fazer isso ou aquilo, estou ao mesmo tempo olhando para mim e revendo tudo o que já vive.

1-Mesmo estando cansada, dá sim tempo para brincar e dá atenção a um pedido especial das meninas;

2-Ser mãe é trazer a memoria constantemente quem sou e ir aprendendo com minhas filhas coisas que deixam nossas vidas melhores:

3-Juntar a família na cama, e fazer a sessão pipoca, mesmo que isso signifique , ter mãos e pés para todos os lados;

4-Pedi desculpa também faz parte do aprendizado, a gente não vai estar certa sempre então peça desculpas quando estiver cometido uma atitude errada.

5-Festas são sempre bem vindas não importa como está a produção seja em casa ou no Buffet, juntou as crianças, estar com a família e os amigos é o que importa.

6-Um dos momentos difíceis pra mim foi aprender a manter o bom humor mesmo com sono, quando o filho nem pensa em dormir, me ensinou  a vê problemas que pareciam grandes ficarem pequenos.

7-Carinho, afeto, cama compartilhada muitos eu te amo, nunca são demais.

8-Que a paciência pode até esgotar (somos  humana) . Se o amor não se esgotar, está tudo bem.

9-Precisamos está bem para os filhos estarem bem.

10-Que o exemplo é tudo pois a criança aprende como somos e não com o que dizemos;

Não existe mãe perfeita , que não erra e que faz tudo certo, e mesmo se existisse não seria garantia de sucesso. O melhor é ser o melhor de você. Exatamente do jeito que você é. Sem muito mistério.


Comentários
4
Compartilhe este post
Pin It

Ter Filhos é reaprender a viver

Ter filhos é saber que eles irão crescer e não ficarão pequenos para sempre, que cada fase tem que ser bem vivida, pois vai passar e não volta.

TER-FILHOS

Ter Filhos

Ter filhos é reaprender a viver

A maternidade é uma mão dupla, você ensina e aprende, é tão profundo que só sendo mãe para desvendar o nosso próprio eu, por que, até então não nos conhecíamos por completo, esqueça o que um dia você falou, como: “eu não serei chata assim com meu filho”, “ele irá para onde quiser”, “não irei deixar de fazer nada que fazia antes dele”, quando ele nascer suas opiniões irão mudar, sua vida, você.

Ser mãe não é difícil, por que você irá passar por fases complicadas, por que irá acordar de madrugada, ou por que em alguns momentos não saberá o que fazer, o difícil de ser mãe é afrontasse a si mesmo, é querer que o tempo pare para você curtir aquela fase, é querer que ele não cresça, que ele jamais sai do seu lado, para curtir muito mais todo esse carinho e momento só você e ele, seja na hora da mamada, ou na hora de dormir, por ser momentos mágicos um vínculo de amor sem igual, o contato mãe e filho.

Ser mãe é olhar para você e não entender nada, pois o amor é tão grande, que não tem fim, não tem tamanho é imensurável, o amor de mãe jamais acaba, como um ser humano pode amar assim.

Sempre soube que tinha que me preparar, que os filhos crescem e vão cuidar das suas vidas, que temos de ensina-los a cuidar deles mesmos, a serem cidadãos de bem, né mesmo, mas quando isso ocorre nós assustamos, com a perfeição de como fizemos certinho.

Esse texto me veio no momento das férias da Isa, minha filha mais velha de 11 anos,  me pediu para passar 7 dias na casa de minha mãe, o que deixamos e ficamos em casa com a Gabi, quando chegou o dia de ir busca-la ela pediu para ficar mais dias, não acreditei, isso mesmo meu coração apertou, sentir minhas pernas tremerem e me passou mil coisas pela cabeça, como eu ficaria e a minha saudade, de ter minha filha pertinho de mim, debaixo das minhas asas, pois é ser mãe nunca foi só ensinar e sim reaprender a viver.

 

 


Comentários
3
Compartilhe este post
Pin It

Não julgue uma mãe mesmo sendo uma

Não julgue uma mãe

Não julgue uma mãe mesmo sendo uma, você não sabe que caminho ela trilhou, até chegar a maternidade, e depois da maternidade o que ela passou tentando, vivendo, até mesmo lutando para ser a melhor mãe para o seu bebê.

NAO-JULGUE

Não julgue uma mãe

O caminho de uma mulher para ser uma mãe já começa  nas brincadeiras de infância, do cuidado com as bonecas como filhas, a maternidade vem como um instinto natural, mais há as mulheres que não querem ter filhos e devemos respeitar essa escolha, afinal de contas cuidar de outro ser não é nada fácil e sempre acreditei que a maternidade não é para todo mundo.

Ter um filho é ter novas responsabilidades e é pesado o tanto que é gratificante, um filho muda as nossas vidas por completo, mas não coloque o encargo de que terá um filho para mudar a sua vida, isso pode ser frustrante.

Ter um filho tomará metade da sua vida, você vai abrir mão de muitas coisas, e fará isso da melhor forma, priorizando o que será melhor para o seu filho, vai se culpar muito, mais saiba não existem mães perfeitas, mesmo fazendo o melhor nunca ninguém conseguirá fazer tudo, mas será boa em muitas coisas, ótimas em outras em algumas nem tanto.

Uma boa maternagem é um reflexo de uma mãe feliz e realizada, não interessa se é uma mãe que trabalha fora, ou em casa, ou estuda, ou não estuda, ser feliz no que faz isso é o que importa pois essa felicidade vai inspirar seu filho a ser feliz e realizado também.

A realização da maternidade só dependerá de você, a maneira como você vai criar seu filho só diz respeito aos pais, a culpa vai diminuindo na proporção que irão adquirindo confiança e fortalecendo vínculos, e ser feliz tem que ser a prioridade da família.


Comentários
2
Compartilhe este post
Pin It