Olá mamães esse bebê quase morre depois de receber um beijo e contrair herpes, achei a matéria muito importante pois temos que tomar cuidado com nossos filhos.

BEBÊ QUASE MORRE

Bebê quase morre depois de receber um beijo e contrair herpes

Bebê quase morre depois de receber um beijo e contrair herpes

Uma Bebê recém-nascida quase morreu após contrair herpes labial por causa um beijo recebido na boca. O caso aconteceu em Doscaster, na Inglaterra. Claire Henderson, mãe da menina, fez uma publicação no Facebook pedindo cuidado:

“Nunca deixe estranhos beijarem seu bebê, mesmo que não aparentem nenhuma doença”. A postagem já foi compartilhada por mais 35 mil pessoas.

A bebê, Brook, apresentou bolhas nos lábios, nas bochechas e no queixo e ficou internada durante cinco dias. Felizmente, a mãe notou que havia algo errado e procurou ajuda médica a tempo.

O vírus da herpes pode ser fatal para bebês com menos de três meses, pois eles ainda não têm imunidade suficiente para combatê-lo.

Além disso, pode causar danos permanentes no cérebro, fígado e pulmões.

A doença se caracteriza por feridas na região da boca e os principais sintomas são dor, coceira, ardência e vermelhidão.

O contágio pode se dar por beijos ou contato com objetos infectados.

O que é Herpes

A herpes é uma doença altamente contagiosa que se pega através do contato direto com a ferida da herpes de alguém, pelo beijo, no banheiro, pela roupa ou até mesmo pelo ar, no caso da herpes zóster.

O contato com algum objeto infectado com o vírus, como copo, talheres, toalhas da pessoa infectada também é altamente contagioso na fase em que a ferida está cheia de bolhas com líquido.

Como se pega herpes labial

O vírus da herpes labial é transmitido:

  • pelo beijo;
  • pelo copo;
  • uso do mesmo talher;
  • uso da mesma toalha;
  • uso da mesma roupa.

Ou qualquer outro objeto que tenha sido usado anteriormente pelo indivíduo contaminado e que ainda não tenha sido desinfetado.

Um indivíduo que possuir herpes genital e que colocar seu órgão genital na boca de um outro indivíduo poderá contaminá-lo, e este último vir a desenvolver a herpes labial.

 


Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It

A importância da amamentação

A importância de Amamentação o seu bebê
.
Tão importante quanto engravidar da maneira saudável e manter a gravidez de maneira saudável, é amamentar de forma correta!

amamentação

A importância da amamentação

Muitas mães ainda tem dúvidas quanto a técnica correta, tabus, tempo adequado e importância da amamentação!
Hoje, você vai tirar todas suas dúvidas aqui no blog Mamãe de duas, junto com Dr. Bruno Jacob, a respeito de tudo, e mais um pouco, sobre o aleitamento materno!
.
A OMS preconiza que os profissionais da saúde passem informações valiosas para as pacientes a respeito do aleitamento, assim como os benefícios do leite materno, vamos ver quais são?:

-Alimento completo: atende todas as necessidades de nutrientes até os 6 meses

-Fácil digestão: Evita cólicas nos nenes.

-Reforça imunidade: Fortalece sistema imunológico, previna alergias, obesidade e intolerância ao glúten.

-Fortalece vínculo mãe e filho

-Dentinhos saudáveis: a sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária no nene.

-Puerpério: Evita o sangramento excessivo no pós-parto.

-Pratico, grátis e natural.

-Previne asma, artrite e doenças do trato gastrointestinal.

-Bem estar: Amamentar libera na mãe o “hormônio do amor”

-Previne anemia

Outra informação importante, que deve ser passada às mães, é a técnica correta do aleitamento. Existe toda uma maneira certa na hora de amamentar, isso inclui fatores tanto da mãe quanto do bebê e as mulheres devem estar atentas a tudo isso! Vamos à elas:

Posicionamento do bebê:
– Rosto do bebê de frente para a mama
– Nariz encostado no mamilo
– Cabeça e tronco alinhados
– Corpo do bebê próximo ao da mãe
– Pescoço do bebê levemente extendido
– Corpo do bebê bem apoiado pelas mãos da mãe

Agora veja como deve ser a “pega” do seu bebê:
-Boca bem aberta pegando todo mamilo
-Lábio inferior evertido
-Queixo tocando a mama
-Movimentos de deglutição visíveis

Fique atenta para sinais de “pega” incorreta.
-Bochechas encovadas
-Ruídos de lingua
-Dor na amamentação
-Mama esticada ou deformada.

Agora que você sabe os benefícios de amamentar e como amamentar, você não tem mais dúvidas certo? ERRADO!!!!
Ok! Então vamos ver a seguir as dúvidas mais frequentes que surgem no consultório a respeito do aleitamento materno!

1. É verdade que algumas mamães tem pouco leite?
Ter pouco leite é um mito comum. Na maioria dos casos a pouca produção de leite está relacionada a erro da técnica ou baixa frequência das mamadas. Afinal, a estimulação da sucção do bebê no mamilo é responsável por produzir a prolactina, logo, quanto mais você oferecer o peito ao seu filho, mais leite produzirá

2. Dr. estou achando que meu leite é fraco?
Outro mito. O aspecto translúcido do leite no início da mamada pode ser interpretado como ausência de substâncias nutritivas se comparado com o aspecto do leite de vaca. Mas isso não é verdade. O aleitamento materno exclusivo garante o desenvolvimento adequado para o bebê.

3. Dr. devo dar um ou os dois peitos?
O ideal é oferecer um peito ao nenê e esperar que ele mame todo leite armazenado, em seguida oferecer o outro peito. O leite do final da mamada é mais consistente e possui nutrientes que o leite inicial não oferece.

4. Os remédios que eu tomo vão passar para o bebê no leite?
Nem todos. A OMS possui uma classificação de medicações permitidas e contraindicadas durante o período de amamentação

Se ainda tiver dúvidas converse com seu médico ou mande um email para drbruno@consultoriojacob.com que ela pode aparecer aqui no blog ser mãe!
.
Por Dr. Bruno Jacob

Instagram: @drbrunojacob
www.facebook.com/drbrunojacob

PLACA


Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It

O vírus mayaro conheça mais sobre

Uma alerta para as mamães estive lendo uma  noticia de um vírus mayaro, que infelizmente é verdade não basta ter a dengue,depois, a zika e a chikungunya, agora temos também o  vírus. Se não bastassem essas doenças que deixam os brasileiros em estado de alerta, e que deixam seqüelas, agora outro vírus vem agora dando sinais de preocupação até para cientistas.

VÍRUS MAYARO

Transmissor do vírus mayaro

O vírus mayaro, identificado pela primeira vez em 1954, existia, a princípio, em regiões silvestres aos redores da Amazônia. Os microrganismos também lutam pela sobrevivência de suas respectivas espécies. Não é um vírus novo!

O grande problema é que o vírus, possivelmente, tenha se adaptado. Antes, era transmitido por mosquitos vetores silvestres e, agora, pode ser passado por mosquitos urbanos já espalhados pelo mundo: o Aedes aegypti, principalmente, e o Aedes albopictus. Se isso se confirmar, há muitas razões para se preocupar, uma vez que o Aedes está presente em todo o território nacional. O vírus provoca uma doença semelhante à chikungunya, a febre do vírus mayaro.

Nas, nas últimas semanas, pesquisadores da Flórida o identificaram no Haiti, em um menino de 8 anos, com febre e dores abdominais. Concluiu-se, então, que este pode estar se espalhando pelo continente.

Os médicos tiveram dificuldade para diferenciá-las. O diagnóstico exato é feito apenas por exames laboratoriais específicos. No menino de 8 anos do Haiti, por exemplo, suspeitou-se, inicialmente, de dengue ou chikungunya. Mas os testes deram negativo e o de mayaro, positivo.

Quais os sintomas da Febre do vírus Mayaro?

Os sintomas  são muito parecidos com os da dengue e/ou chiKungunya. Começa com uma febre inespecífica e cansaço, sem outros sinais aparentes. Logo após podem surgir manchas vermelhas pelo corpo, acompanhadas de dor de cabeça e dores  nas articulações. Os olhos podem também ficar doendo e em alguns casos reporta-se intolerância à luz. São sintomas muito parecidos e por isso a febre do Mayaro pode ser facilmente confundida com dengue ou com chikungunya. No entanto, no Mayaro as dores e o inchaço das articulações podem ser mais limitantes e durar meses para passar.

Como saber se é dengue, zika, Mayaro ou chikungunya?

Pelo quadro clínico pode ser difícil diferenciar. Só os exames laboratoriais específicos é que podem apontar o diagnóstico correto. No menino de 8 anos do Haiti suspeitou-se inicialmente de dengue ou chikungunya. Mas os testes vieram negativos e o de Mayaro confirmou ser positivo.

Já foram confirmados casos de febre do Mayaro no Brasil?

Sim. Entre dezembro de 2014 e junho de 2015 foram confirmados 197 casos  de febre do Mayaro nas regiões Norte e Centro-Oeste, com destaque para os estados de Goiás, Pará e Tocantins. Todas estas pessoas moravam ou estiveram em área rural, silvestre ou de mata por atividades de trabalho ou lazer. O Estado de Goiás registrou 66 casos até fevereiro de 2016 e o Datasus não possui mais dados atualizados deste ano. Importante salientar que no Brasil a transmissão desta doença limitou-se a regiões de mata. Não há relatos, até o momento, de transmissão urbana.

 

Fonte: http://g1.globo.com/


Comentários
0
Compartilhe este post
Pin It

05 Dicas para Prevenir Assaduras em Bebês

Dicas para Prevenir Assaduras em Bebês

Muito ruim quando nossos pequenos ficam com assaduras, e quando se agravam então complica ainda mais, hoje trago algumas dicas de com prevenir assaduras nos pequenos.

Mas primeiro vamos saber o que é assadura, por que ocorre. Assadura é uma inflamação da pele causada por contato com substância irritante produzido pela urina ou fezes, conhecida também como dermatite de fraldas.

PREVENIR ASSADURAS

Prevenir Assaduras em Bebês

Como Prevenir Assaduras em Bebês

  1.  Evite o uso de lenços umedecidos, use algodão com água morna, usei muito na Gabi e realmente faz diferença,  depois que ela foi crescendo que comecei a usar os lenços umedecidos, mais na rua em casa eram sempre algodão.
  2. Use as pomadas com de óxido de zinco, hoje no mercado existem vários modelos usei muito o da Turma da Mônica e a Nistatina, use em cada dobrinha do bebê e em cada troca de fralda.
  3. Deixe o pequeno um pouco sem fralda, sempre que possível isso ajuda a região respirar um pouco.
  4. Se o bebê ainda mama, é bom que a mãe evite alimentos muito ácidos ou condimentados. O mesmo ressalto para bebês que já se alimentam de sólidos. Evitar frutas ácidas, como pera, abacaxi, morango, e laranja pois podem favorecer as assaduras.
  5. Use fraldas de pano, sei que as descartáveis nos ajudam e muito, mais quando o baby estiver com assaduras recomendo o uso da fralda de pano para facilitar a cura e deixar a região mais arejada.
PREVENIR ASSADURAS

Prevenir Assaduras em Bebês

Como tratar

Em casos mais leves, recomendo por experiência própria que lave bem a região afetada com água morna e sabão neutro quando for dar o banho do bebê, quando for trocar a fralda, faça a higiene com 120 ml de água morna e uma colher de sopa de bicarbonato de sódio e deixe secar, também pode ser usado o soro. Procure não esfregue o algodão na hora da limpeza. Deixe sempre uma camada grossa de pomada, observe se a região está bem seca para colocar a fralda se possível deixe a criança mais tempo sem fralda. Em casos mais graves ou persistentes, procure um médico. Ele pode prescrever pomadas específicas.


Comentários
10
Compartilhe este post
Pin It