Como fazer seu filho beber água

Hoje trago dicas de como fazer seu filho beber água pode até ser difícil, mas ai valer a pena, sempre tive problema com as meninas sobre como fazer elas beberem mais água, complicado demais, pois água é fundamental além de hidratar, trás benefícios e evitam problemas a saúde. Com a Isa ainda conseguia driblar com garrafinhas diferentes e coloridas mas com a Gabi nada resolvia e pior foi se tornando serio pois ela começou a ter prisão de ventre por isso,  é importante acostumar a criança a beber água mesmo que não tenha sede. A água que a criança deverá tomar deve estar na temperatura ambiente e não precisa estar muito gelada .

Como fazer seu filho beber água

Agora vem o desafio com dá conta de fazer o filho beber água

Ofereça sempre água a seu filho não espere ele pedi;

Sempre tenha água disponível;

Compre garrafas de personagens preferidos deles e ofereça água;

Ofereça água gelada principalmente nos dias quentes;

Tente dar água em copos diferentes;

Compre canudos e tente dar com água;

Leve sempre uma garrafinha de água para onde forem;

Converse sobre o “porque” de beber água;

E o principal seja o exemplo, beba água.

Com a Isa essas dicas deram super certo, mais com a Gabi não tive essa sorte então tive que apelar mesmo, uma técnica que venho usando e vem dando resultado é com uma seringa dessa normal que vem para dar remédio eu pego e vou dando água e ela bebe, só assim.É mãe tem que rebolar e ser criativa né, ainda não consigo bater a meta diária mais ela bebe 4 copos de 200 ml, ainda é menos de um litro mais já é um bom caminho pra quem não bebia nada de água e as prisões de ventre nem me lembro mais da última, significa que cada esforço está valendo a pena.

Fiz uma tabelinha para o controle do consumo de água

Até o 6 meses: O leite materno contém 88% de água.

7 a 12 meses: 800 ml

1 a 3 anos: 1,3 litros

4 a 8 anos 1,7 litros

9 anos em diante: 2 litros

Gestante 3 litros

Mães amamentando: 3,8 litros

Espero ter ajudado !!


Comentários
8
Compartilhe este post
Pin It

sonambulismo Infantil causas

Desde de pequena reparamos que a Isa tinha sonambulismo, ela acordava falava só e voltava a dormir, nada mais o tempo foi passando e sobre nossa observação e diálogo com o pediatra essa fase passou e ela apenas falava dormindo, porém não levantava mais. Ontem a Isa levantou sentou-se na cama, me pediu o seu remédio de nariz e começou a usa-lo como se fosse cola, mais cedo ela tinha feito colagem na cartolina para um trabalho escolar, o sonambulismo tinha voltado mais intenso.

sonambulismo infantil

Mas o que é sonambulismo

O sonambulismo é um transtorno do sono que consiste basicamente em levantar-se da cama, andar ou praticar algum tipo de atividade enquanto ainda está dormindo. Em termos médicos, no sonambulismo as funções motoras da pessoa despertam, mas sua consciência permanece inativa. Trata-se, portanto, de um despertar desequilibrado do cérebro.

Por ser muito comum, hoje em dia o sonambulismo não é mais caracterizado como um distúrbio do sono propriamente dito, mas sim como uma variação dele. Além disso, o sonambulismo é identificado principalmente pelo vai-e-vem pela casa, pode incluir ainda conversas e acontece na primeira metade da noite. Pode durar pouco tempo ou até 40 minutos e se repetir ao longo da noite.

Crianças entre três e sete anos de idade estão mais propensas a desenvolver episódios de sonambulismo. Esta é uma fase de desenvolvimento muito intensa do sistema nervoso e é natural, portanto, que essas mudanças reflitam-se no sono das crianças.

O sonambulismo tende a desaparecer durante a adolescência, mas pode também surgir em adultos. Nestes casos, ele está comumente mais relacionado a outras condições de saúde do que a um distúrbio do sono propriamente dito.

Causas

As causas exatas do sonambulismo ainda não foram totalmente esclarecidas. No entanto, os médicos apontam para uma série de fatores que podem aumentar as chances de uma pessoa vir a desenvolver episódios de sonambulismo – principalmente durante a noite. Veja:

Ficar sem dormir por longos períodos

Fadiga

Estresse

Depressão

Ansiedade

Febre

Mudanças súbitas na rotina de sono

Determinados medicamentos

Ingestão de bebidas alcoólicas

Uma pessoa sonâmbula pode:

Sair da cama e caminhar pelo quarto

Sentar-se na cama e abrir os olhos

Apresentar expressão vaga nos olhos

Fazer atividades rotineiras, como se vestir, falar ou preparar um lanche

Não responder ou não se comunicar com os outros quando é chamada

Ser difícil de acordar durante um episódio de sonambulismo

Apresentar rápida desorientação ou confusão depois de ter sido despertado

Voltar rapidamente ao sono

Não se lembrar de absolutamente nada quando despertar normalmente de manhã

Apresentar estresse, mau humor e sono diurno em decorrência das perturbações durante a noite

Apresentar terrores do sono

Buscando ajuda médica

Episódios ocasionais de sonambulismo geralmente não são motivo para preocupação. No entanto, você deve procurar um especialista se notar episódios recorrentes de sonambulismo em seu filho – ou se você mesmo os apresentar. Principalmente se houver a ocorrência de comportamentos perigosos ou agressivos durante o sonambulismo ou for motivo de constrangimento.

Considere marcar uma consulta também caso os episódios de sonambulismo não cessem durante a adolescência ou se surgirem no início da vida adulta.


Comentários
12
Compartilhe este post
Pin It

higiene bucal dos pequenos

Cuidar da higiene bucal dos pequenos é muito importante e isso tem que ser feito desde o seu nascimento, é um erro muito comum achar que deve se preocupar com a higiene bucal do bebê só depois que os dentinhos surgem uma boa higienização oral desde o inicio é o caminho para uma dentição saudável no futuro. E hoje trago algumas dicas de como venho fazendo aqui em casa.

higiene-bucal

Como fazer a higiene bucal dos pequenos

Antes de terem dentes: a higiene bucal deve ser feita com uma gaze ou fralda umedecida em água limpa para remover os resíduos de leite. Com o nascimento dos primeiros dentes (por volta dos 6 meses), a fralda deve ser substituída por uma dedeira.

Assim que os dentinhos aparecerem: a higiene bucal deverá ser realizada com uma escova dental infantil sem creme dental ou com um creme dental sem flúor.

Até que idade devemos escovar os dentes dos pequenos

Não existe uma idade correta para a criança escovar os dentes sozinha, tudo vai depender da coordenação motora de cada um, quando você observar que ele consegue fazer sozinho você deixa, provavelmente em torno de seis aos sete anos, mas a noite é bom você fazer até ele completar 12 anos.

O primeiro passo para que seu filho cuide bem de seus dentes é vê os pais cuidando dos deles. Ao cuidar bem dos seus próprios dentes, os pais dão o exemplo. Então incentive

Sempre que vou escovar meus dentes eu dou a escova para a minha pequena também, sempre de forma divertida, sem críticas e reclamações, a minha morde as cerdas o que é normal e sempre tento orienta-la a não morder, quando acabar a escovação, checo se está tudo bem. Outra tática que uso aqui é deixar ela assistir um desenho enquanto escova os dentes.

Fio dental nem sempre ajuda

O fio dental é um poderoso aliado para prevenção das doenças orais, porém, devido à região entre os dentes ser côncava o fio dental não é 100% eficiente. É recomendado usá-lo para a remoção de restos alimentares e para a higienização da região entre os dentes onde o contato é muito apertado.

Com ou sem flúor

Como os pequenos com 1 aninho ainda não sabem cuspir usar sem o flúor, a partir dos 2 ou 3 anos de idade, quando a criança souber cuspir, já poderá usar o creme dental com flúor.

Uma coisa muito comum que vejo muito é a mãe soprando a comida do bebê e isso é errado pois a cárie é uma doença transmissível. O Streptococcus mutans, bactéria causadora da cárie, pode ser transmitido da mãe para o filho pelo contato direto.

higiene bucal

Dicas que fazem a diferença

Ensine à criança a fazer higiene bucal pelo menos três vezes por dia.

Ensine-a a usar o fio dental diariamente.

Não exagere nos doces

É importante que seu filho use produtos com flúor, quando tiver a idade certa.

Espero ter ajudado, sempre procure orientação do odontopediatra.


Comentários
7
Compartilhe este post
Pin It

Ansiedade Infantil Como Controlar

  Ansiedade Infantil Como Ajudar Nossos Filhos

Ansiedade
Ansiedade é uma combinação complexa de sentimentos de medo, apreensão e preocupação, geralmente acompanhada de sensações físicas como palpitações, dor no peito e/ou falta de ar. Ansiedade pode existir como uma desordem cerebral principal, ou pode estar associada a outros problemas médicos incluindo desordens psiquiátricas.
A Ansiedade é um sentimento natural tanto na infância como em qualquer outra etapa da vida. Crianças de 8 meses de idade podem apresentar sintomas de ansiedade sempre que se separam dos pais. Isto é normal. Entre os 6-8 anos de idade, a ansiedade se volta para o desempenho escolar e o relacionamento com os coleguinhas. Crises de ansiedade também podem ocorrer quando a criança passa por mudanças significativas como troca de escola ou de casa, falecimento de entes queridos, chegada de novos irmãozinhos, separação dos pais e etc.
Seja uma porta aberta.
Não julgue: ajude. Crianças excessivamente ansiosas precisam de apoio e expectativas positivas, mas só irão procurar sua ajuda se tiverem certeza de que não serão hostilizadas ou ridicularizadas. Cobre disciplina na mesma medida em que você demonstra seu afeto, e certifique-se de que sua disciplina está sendo passada em um formato motivador.
Retire o excesso de peso.
Uma criança de 11 anos ainda é apenas uma criança, não a miniatura do adulto que você gostaria que ela fosse. Não cometa o erro (terrível) de impor seu nível de maturidade às responsabilidades dela.
O excesso de carga também diz respeito às estratégias de comportamento utilizadas por muitos pais. “A criança tem medo de escuro? Tranque-a sozinha em um quarto sem luz por alguns minutos, ela verá que nada de mal acontece”. Excelente! Ao bater de frente dessa forma, você acabou de descobrir uma nova maneira de corroer o elo de confiança entre vocês.
O mais recomendável é liderar pelo exemplo. Se a criança fica aterrorizada com cachorros, você não precisa atravessar a rua toda vez que avistar um. Segure a mão da criança, mantenha tranquilamente seu rumo e passe a mensagem correta: nada de fobias. Não confronte, mas não evite. O segredo em todas as situações é combinar Bom Senso com Perseverança, contando sempre com a ajuda do tempero mais precioso da educação, o Tempo.

Como identificar a ansiedade na criança

A criança ansiosa não se concentra no momento atual. Até os 6 anos, a insegurança é a principal característica. Ela tem medo de tudo e dificuldades em passar as etapas do seu desenvolvimento, como largar as fraldas ou a chupeta.
Em idade escolar, o desempenho nos estudos pode ser prejudicado, por não conseguir acompanhar as explicações do professor. Quando está brincando, ela pode atropelar a colega. Se o jogo é de tabuleiro, por exemplo, ela quer jogar a todo o momento e não sabe esperar sua vez. Se for menor, e o brinquedo é de encaixar, pode não conseguir realizar a atividade da maneira que gostaria.
É claro que, se o seu filho está em época de provas, esperando por uma viagem ou festa de aniversário, ele vai ficar ansioso, mas são situações que não trarão danos para a sua vida. Vale o bom senso dos pais para observar a criança. O problema é quando o sono, a alimentação, o desenvolvimento educacional e social da criança são afetados.

Como os pais podem ajudar os filhos

– Ensine seu filho a respirar bem devagar, para que ele se acalme;
– Ao contar uma história, se perceber que ele está disperso, chame-o com carinho e o envolva novamente no enredo;
– Converse com seu filho. Se perceber uma mudança no comportamento, ajude-o a se expressar, a nomear o que está sentindo;
– Ofereça saídas práticas. Se estiver muito ansioso por causa de um evento, ajude-o a se distrair, sem fazer comentários sobre seu comportamento. Se estiver comendo muito rápido, peça que acompanhe o seu ritmo;
– Proponha atividades físicas. Elas relaxam e colocam a criança no presente.
Se perceber que a rotina e o desenvolvimento da criança estão prejudicados por conta da ansiedade, procure ajuda de um profissional.

Comentários
9
Compartilhe este post
Pin It