Mãe de menina que deixou de ser cega

Mãe de menina que deixou de ser cega

Olá mamãe, não podia deixar de trazer esse relato lindo e emocionante da mãe da  menina Nicolly que deixou de ser cega.

CEGA

Daiana e Nicolly no hospital: Nunca duvidei, diz a maãe

Ela me vê e diz: Que linda’, conta mãe de menina que deixou de ser cega

Catarinense Nicolly, de 2 anos, tem glaucoma e fez cirurgia nos EUA. Momento em que criança enxergou a mãe pela 1ª vez. Mariana Faraco

O procedimento ocorreu no dia 17 de março, em um hospital de Miami, graças à ajuda de pessoas que souberam do caso pelas redes sociais.

O momento em que os tampões são retirados e Nicolly vê o mundo – e a mãe – pela primeira vez, no dia seguinte à cirurgia, foi registrado em vídeo (assista acima).  “Filha, você tá vendo!”, disse a mãe, entre lágrimas, naquele momento.

“Ela chorava um pouco na hora de tirar os tampões dos olhos, mas assim que tirou foi visível que ela estava enxergando”, conta a mãe. “Ela olhou tudo ao redor, na sala do hospital. A gente colocou um brinquedo e ela pegou, depois um pacote de lenços”, lembra Daiana, emocionada.

A mãe recorda das primeiras palavras da médica: “My god”. “Quando ela viu Nicolly, assim que chegamos do Brasil, achou que tinha cometido um erro de levá-la para os Estados Unidos, o caso de Nicolly era muito grave. Mas não contou pra gente na hora”.

Vida nova, agora de óculos

De volta a Piçarras, no litoral norte catarinense, Nicolly aos poucos retoma a rotina, e vem evoluindo. “Está escutando, antes da cirurgia falava meio embaralhado, agora repete tudo, até canta em inglês com as musiquinhas dos brinquedos que ganhou nos Estados Unidos”, diz Daiana.

A visão da criança está longe de ser 100%, mas a família considera que o que aconteceu foi um “milagre”. “Ela está usando óculos com 5 graus cada. Escuta até seta de carro, é engraçado”.

Risco de perder os olhos

Nicolly nasceu com uma forma agressiva de glaucoma congênito. Por causa da elevada pressão intraocular, corria o risco, além da ficar cega, de precisar ter os olhos retirados. “O glaucoma dela não tinha controle.” Além disso, descobriu-se depois que Nicolly também não ouvia. Ela também enfrentava problemas renais.

Com nove dias de vida, a menina passou por uma cirurgia. Foi a primeira de sete operações às quais foi submetida no Brasil, das quais saía sem qualquer esperança de melhora.

Quando Nicolly nasceu, Daiana e o marido Alexandre levavam uma vida de classe média  relativamente tranquila. Ela trabalhava como operadora de máquinas e ele, como motorista. Com a chegada de Nicolly, a família começou a gastar o que tinha e o que não tinha com os tratamentos da menina.

Campanha na internet

Sem coragem para dizer às pessoas a sentença dos médicos, de que era quase impossível Nicolly enxergar, aos três meses de vida da menina a mãe postou uma foto em uma página criada para ajudar outra criança doente, que tinha muitos seguidores. “Uma menina do Rio de Janeiro, Luciana, viu a foto e sugeriu criar também uma página de ajuda”.

Com os recursos arrecadados, a família se mudou para Sorocaba, no interior de São Paulo, para buscar outras opções de tratamento. “Eu e meu marido fomos trabalhar no lava-jato de uma amiga, quando não estávamos com a Nicolly nos hospitais”. Em uma das viagens, acabaram batendo o carro, que acabou sendo vendido para custear o tratamento.

“Muita gente achava que ela nunca enxergaria, mas nunca duvidei. Ficava até sem o que comer para pagar um exame que ela precisava. Às vezes eu entrava confiante no consultório e saía arrasada, mas ela dava um sorriso e toda decepção acabava naquele sorriso dela”.

A mobilização na internet cresceu e despertou o interesse de uma internauta que vive nos Estados Unidos, fala português e cuja mãe também é portadora de glaucoma. A jovem decidiu pesquisar hospitais que pudessem fazer uma cirurgia para tentar salvar a visão de Nicolly.

“Antes de a Ni nascer eu não sabia o que era glaucoma. Fui pesquisar e as pessaos dizem que as dores são muito fortes. Mas eu nunca vi ela reclamar. Quando chegamos a pressão no olho estava a 50 e ela sorria”, diz a mãe, antes de resumir: “A guerreira é ela”.

Fonte: http://goo.gl/o1uSfH


Comentários
1
Compartilhe este post
Pin It

Deborah Secco faz relato sincero sobre a maternidade

Olá mamães, a atriz Deborah Secco, faz um relato sensível e corajoso da experiência mais incrível da sua vida, que é a maternidade.

DEBORAH SECCO

Deborah Secco posa com Maria Flor

“É como se eu tivesse aberto mão de mim. É confuso e intenso, senti uma tristeza. Mas tudo se ajeita, e o amor só cresce…”, desabafa Deborah Secco,

Para ela, romper com idealizações e cobranças são serviço de utilidade pública! Por isso que você está lendo agora é bem isso: um relato sensível, corajoso e sincero da experiência mais incrível da vida dela.. #somostodosDeborah, agora mais que nunca!

Segue agora um pouco dessa entrevista maravilhosa para a revista Glamour:

G: Sério? Vocês se revezam nos cuidados, é isso?

DS: Minha mãe ajuda bem. E Hugo e eu fizemos cursinho pra aprender a trocar fralda, isso tudo. Uma coisa legal que fazemos desde que chegamos da maternidade é dar banho nela no chuveiro. Como não consegui amamentar muito tempo, porque não tive leite e depois

enfrentei uma mastite [inflamação da mama] bem chata, acho uma delícia criar nosso vínculo agarradinhas no chuveiro. É um laço afetivo muito lindo que se forma nesses momentos. No mais, tento criar sem dramas.

G: O primeiro mês com um bebê é o mais, digamos assim, desafiador. Como foi pra você?

DS: Complicado. Ninguém me avisou que a criança não dá amor no primeiro mês! Ainda mais no meu caso, que não amamentei. Sentia que qualquer pessoa que estivesse ali trocando fralda, dando banho e mamadeira, pra ela estava bom. É uma dedicação absurda, o bebê demanda de três em três horas cronometradas. Aí você sente que dá muito e não recebe nada em troca. É frustrante.

G: Sua gravidez foi bacana?

DS: Fui uma grávida muito chata. Tive muita oscilação de humor. Fiquei muito carente e chorosa. O Hugo falava que 24h não eram suficientes pra mim, eu queria mais dele e de todo mundo. Basicamente, fiquei como na TPM, só que por nove meses [risos]. Mas também tem

uma parte linda: quando o bebê mexe dentro da barriga. Disso sinto falta, de saber que ali ela era só minha.

G: É muito louco o papel do pai nessa primeira fase, né?

DS: Muito! Mas, olha, o Hugo me surpreendeu demais. Ele é jovem [26 anos] e se mostrou mais maduro que eu. Ter ele ao lado me deu tanta força. Hugo me disse todos os dias da gravidez que eu estava linda – eu sabia que eu não estava linda, sabe assim? Duvido que uma grávida se sinta linda, como algumas dizem por aí. É delicioso sentir o bebê, claro, mas linda, linda… isso não.

G: Foi uma gestação planejada?

Não. Parei de tomar pílula pra congelar meus óvulos, porque todas as minhas amigas estavam com dificuldade de engravidar, e o médico falou que o ideal era congelar com 35. Pra fazer o procedimento, tinha que ficar durante seis meses sem anticoncepcional. Aí, por causa de uma camisinha furada, Maria nasceu.

G: Você lembra o dia em que ela foi concebida?

DS: 28 de março de 2015. Eu estava no meu primeiro dia fértil. Coloquei as pernas pra cima porque dizem que isso aumenta as chances de ser menina. Aí a gente ficou um tempão brincando: “Será que Maria já está aqui?”.

G: Você se cobra muito pra ser uma mãe perfeita?
DS: Vou ser a melhor mãe do mundo pra Maria porque sou a única. Vou tentar sempre ser o melhor que posso, mas vou errar, sou humana.

Fonte:http://goo.gl/hdIfsx


Comentários
0
Compartilhe este post
Pin It

Alimentos saudáveis Para os Filhos

Dicas para deixar os alimentos saudáveis mais atraentes para as crianças 

Olá mamães e papais de plantão!!!
Hoje a dica de saúde e bem estar é para que as crianças possa consumir mais alimentos saudáveis.
Então, vamos aprender a preparar alimentos saudáveis para os pequenos??
Consegui fazer com que seu filho coma alimentos saudáveis não é uma tarefa fácil para muitos pais.
A partir de 1 ano de idade, a recomendação é que ela passe a comer de tudo. Mas, até mais ou menos os 5 anos, a maioria não gosta de provar novos sabores. 
“Antes de ter certeza de que a criança não aprecia mesmo um alimento, é necessário oferecê-lo de oito a dez vezes”, avisa Patricia de Carvalho Padilha, professora do curso de nutrição da UFRJ. Portanto, na hora de cozinhar, precisamos de bastante criatividade! Quer saber como?
A seguir, confira as melhores maneiras de preparar alimentos saudáveis como veetais e carnes para seu filho.

ALIMENTOS SAUDAVEIS

Alimentos saudáveis

Vegetais mais atraentes

Nove entre dez crianças dirão que não gostam de alimentos saudáveis como verduras e legumes.

ALIMENTOS-SAUDAVEIS

Alimentos saudáveis

Acontece que, em uma dieta balanceada, eles precisam comparecer diariamente, pois são importantes fontes de vitaminas, sais minerais, antioxidantes e fibras.

Crus, eles oferecem uma boa dose de nutrientes intactos, e você não deve desprezar isso. “Variar nos cortes e na apresentação ajuda. Muitas crianças podem rejeitar cenoura cortada em rodelas, mas gostam de comê-la em palitinhos”, exemplifica a nutricionista Paula Fernandes Castilho, diretora da Sabor Integral Consultoria em Nutrição, de São Paulo.

Outra ideia interessante consiste em espetar pedacinhos variados, como de pepino, tomate e cenoura, em um palito de madeira grande sem ponta, e deixar a criança se divertir. Antes de servir, porém, é importante higienizar os vegetais em água corrente e com produtos próprios para esse fim, como o hipoclorito de sódio.As versões de preparo dos alimentos saudáveis como as hortaliças que levam ao fogo ao fogo são muitas e você também pode se aproveitar de todas elas para conseguir resultados apetitosos.

Cozinhar no vapor é a modalidade que mais preserva os nutrientes, portanto, deve ser usual.

Uma dica saborosa é preparar dessa maneira mandioquinha (batata-baroa), cenoura, vagem, abobrinha, chuchu, repolho, brócolis e couve-flor e servi-los com um fio de azeite. Existem panelas próprias para cozinhar no vapor, mas dá para improvisar a técnica com um escorredor de macarrão ou uma peneira de alumínio sobre uma panela com água fervente.“Se preferir cozinhar vegetais em água, deixe o mínimo de tempo possível, para que os nutrientes não se percam”, sugere Patrícia. À noite, uma boa pedida pode ser uma sopa de vegetais com músculo ou outra carne cozida na mesma água, que deve ser aproveitada no preparo. Utilizar o líquido do cozimento de hortaliças para preparar outros pratos, como o arroz e o macarrão, também é ótima alternativa, pois enriquece de nutrientes a comida.

E por falar nesses dois alimentos queridos da garotada, eles podem ser um excelente veículo para a ingestão de verduras e legumes. Substitua o molho vermelho da macarronada por um refogado de tomate e outros vegetais picados. Use pouco óleo para refogar. A mistura também pode ser adicionada ao arroz ou servir de recheio para panquecas e tortas. “Pratos mais coloridos são atraentes e saudáveis. A criança também come com os olhos”, diz a professora da UFRJ. Outra ideia simples e original é acrescentar pedaços de vegetais à farofa. Gradualmente, vá introduzindo refogados de um único vegetal, por exemplo, de abobrinha ou de chuchu, num cantinho do prato. Utilize temperos naturais, como alho, cebola e cheiro-verde.
Carnes saborosas

Fontes de proteína, ferro e outros minerais, além de vitaminas e aminoácidos, as carnes devem fazer parte do prato do seu filho, tanto no almoço quanto no jantar.

Segundo a especialista Patricia Padilha, todas as carnes devem ser consumidas pelas crianças após cozidas, assadas ou grelhadas, sempre bem passadas, e nunca cruas. “Existe o risco de contrair doenças, e o melhor é que elas sejam mesmo preparadas no fogo de maneiras variadas, para não enjoar”, justifica.

Procure conhecer a procedência dos alimentos antes de comprá-los.Os assados, sejam de carne branca ou vermelha, podem ser acompanhados de alimentos saudáveis como os vegetais, que devem ser acomodados ainda crus na assadeira. Tape o vasilhame com papel alumínio para não ressecar a iguaria. Outra forma de preparar a carne vermelha é usar a panela de pressão, que deixa o alimento bem macio.

Pique a peça em cubinhos e tempere. “Para a carne ganhar um sabor especial, forre a panela com pedaços de alimentos saudáveis do tipo: cenoura, salsinha e cebolas. Mas, ao final, despreze esses ingredientes.

“”Eles absorvem toda a gordura da carne” Aliás, prefira sempre os cortes magros, que são mais saudáveis.Para grelhar filés de peixe, frango ou boi, use uma pequena quantia de azeite de oliva.

Esse modo de preparo é sempre a melhor alternativa à fritura em imersão, que pode ser uma delícia, mas não é recomendada e deve ser feita apenas eventualmente.
Qualquer que seja a forma de preparo escolhida – cozida, assada, grelhada ou refogada -, abuse de temperos naturais e não use condimentos industrializados, como caldos em tablete ou preparados em pó, que contêm excesso de sódio e glutamato monossódico. Prefira temperar com alho, cebola, orégano, salsinha, cebolinha e coentro. 
E o que mais sua criatividade permitir e seu filho aprovar!
Então pessoal o que acharam das dicas para preparar alimentos saudáveis para seus filhos?

Beijinhos e um ótimo final de semana!!!!

Compartilhe este post
Pin It

Não julgue uma mãe mesmo sendo uma

Não julgue uma mãe

Não julgue uma mãe mesmo sendo uma, você não sabe que caminho ela trilhou, até chegar a maternidade, e depois da maternidade o que ela passou tentando, vivendo, até mesmo lutando para ser a melhor mãe para o seu bebê.

NAO-JULGUE

Não julgue uma mãe

O caminho de uma mulher para ser uma mãe já começa  nas brincadeiras de infância, do cuidado com as bonecas como filhas, a maternidade vem como um instinto natural, mais há as mulheres que não querem ter filhos e devemos respeitar essa escolha, afinal de contas cuidar de outro ser não é nada fácil e sempre acreditei que a maternidade não é para todo mundo.

Ter um filho é ter novas responsabilidades e é pesado o tanto que é gratificante, um filho muda as nossas vidas por completo, mas não coloque o encargo de que terá um filho para mudar a sua vida, isso pode ser frustrante.

Ter um filho tomará metade da sua vida, você vai abrir mão de muitas coisas, e fará isso da melhor forma, priorizando o que será melhor para o seu filho, vai se culpar muito, mais saiba não existem mães perfeitas, mesmo fazendo o melhor nunca ninguém conseguirá fazer tudo, mas será boa em muitas coisas, ótimas em outras em algumas nem tanto.

Uma boa maternagem é um reflexo de uma mãe feliz e realizada, não interessa se é uma mãe que trabalha fora, ou em casa, ou estuda, ou não estuda, ser feliz no que faz isso é o que importa pois essa felicidade vai inspirar seu filho a ser feliz e realizado também.

A realização da maternidade só dependerá de você, a maneira como você vai criar seu filho só diz respeito aos pais, a culpa vai diminuindo na proporção que irão adquirindo confiança e fortalecendo vínculos, e ser feliz tem que ser a prioridade da família.


Comentários
2
Compartilhe este post
Pin It