Quando fui convocada para trabalhar estava grávida
de nove meses da Isa, nem acreditava mais em ser chamada, trabalhei 5 dias e
fui ter minha filhota, fiquei em licença maternidade por 4 meses, confesso que
iria largar o trabalho para ficar com minha filha, longe da família, foi muito
difícil pra mim, mais superamos isso, e trabalhei por quase 10 anos.

Quando engravidei da Gabi não tive duvidas,
iria deixar de trabalhar para cuidar das meninas, a licença maternidade já era
de 06 meses porém a prefeitura aonde eu trabalhava não aderiu, o que eu acho um
absurdo, mais o que eu podia fazer, depois dos 04 meses entrei com um pedido de 02
anos de afastamento, o qual penso seriamente em renovar por mais 02 anos, quero
conciliar as meninas na escola e eu no trabalho sem afetar eu cuidar delas de
maneira exclusiva.
Mas o que quero falar é sobre algo que li que me
deixou muito feliz o fato da licença poder ser de 1 ano e a do pai um mês, pela
primeira vez se discutiu o quanto a primeira infância com a mãe é importante
para ambos, e que com certeza teremos uma sociedade melhor, pois  hoje somos obrigadas a nos separar de nossos
filhos, para voltarmos a nossa rotina de uma maneira que  não estamos preparadas, estava a pensar se um útero
leva em media um ano para voltar ao lugar, uma criança ficar em nosso ventre 09
meses, por que a licença maternidade são apenas 04 meses. Sou mãe, esposa,
blogueira e já vivi os dois lados da maternidade, e sentir na pele como é.

 photo ewwa-roupas-para-gravidas_zpsa00xwdsa.jpg

Sobre o Projeto da Licença Maternidade  

O projeto foca em um conjunto de ações para o
início da vida, como ampliar a qualidade do atendimento para crianças até 6
anos, com carreira, capacitação e, inclusive, com a criação de novas funções
publicas, que cuidem do início da vida, de modo a valorizar o papel da mãe e do
pai junto à criança, bem como criar espaços públicos para garantir que as
crianças tenham locais adequados para se desenvolver.
É na primeira infância, segundo ele, que a
criança desenvolve as estruturas sociais, afetivas e cognitivas, e por isso a
atenção deve ser maior para assegurar condições de desenvolvimento saudável.

Ainda não soube mais nada sobre a votação que seria
em dezembro, se alguém ficou sabendo algo compartilha conosco aqui bjs.


Compartilhe este post
Pin It

Estava fuçando na net e me deparei com esse texto e trouxe na integra pra vocês eu amei a ideia.

A última moda neste verão entre mães que amamentam é o peitolé _picolé de leite materno. Além de refrescar, o tetolé, como também é chamado, teria a propriedade de aliviar as dores da primeira dentição.

Vanessa Rodrigues ofereceu o peitolé para a filha, Beatriz, de seis meses e meio, pela primeira vez na semana passada. “Li sobre ele em grupos de amamentação e como os dentinhos dela já estão rasgando, resolvi oferecer”, afirma.

Moradora de Araraquara, no interior de SP, Vanessa diz que perguntou antes para a pediatra se podia oferecer o picolé de leite materno para a filha. “Ela liberou.”

E como foi a experiência da Beatriz com o peitolé? “De início ela achou estranho, pois nunca havia experimentado um alimento gelado, mas percebi que ela reconhecia o sabor e persistia em pegar o picolé e levar a boca. Logo foi se acostumando e vagarosamente degustando!”

O assunto é tema de posts em grupos sobre amamentação nas redes sociais. Mas ele já é antigo. Já havia grupos de mães que debatiam o tema no Orkut.

A física nuclear Maíra Nunes, 34, por exemplo, faz sorvete de massa com leite materno para o filho Francisco, com 22 meses.

Segundo ela, a receita de sorvete de massa de leite materno é praticamente a mesma do convencional. “Só diminui as quantidades de uma receita de sorvete de creme, eliminando o açúcar e trocando o leite de vaca pelo meu leite ordenhado. Uso a máquina de sorvete para fazer. A receita original é do livro de receitas da própria máquina. Meu marido teve a ideia de fazer o sorvete de massa quando o Cisco não aceitou bem o “leitolé.”

Simone Moraes, 34, mãe da Catarina, de 5 meses, também deu ‘peitolé’ para a filha pela primeira vez na semana passada.

Segundo ela, a bebê aparentemente não gostou muito. A primeira reação dela foi pegar e abrir a boca. Dai sentiu o gosto e ficou ok. Mas encostou de novo e ficou reclamando. Não fiz pelo dente, fiz pelo calor insuportável.”

Apesar  das caretas da filha, Simone disse que fará mais uma tentativa. “Não vou desistir.”

A médica Djinane Spinosa Zerlotto Rotta, 38, também mistura frutas no picolé para a filha Alice de 2 anos, que tem alergia à proteína do leite de vaca. “Ela adora picolé, o de leite materno geralmente bato com banana, morango ou manga. Aqui sempre tem picolé caseiro e sem açúcar, só de fruta no freezer.”

A receita é fácil, segundo ela. eu ordenho o leite, cerca de uma xícara de chá, bato banana com frutas secas( tâmara ou blueberry) no mixer, misturo ao LM, coloco em forminhas q adquiri em supermercado, e pronto!”

RECOMENDAÇÃO MÉDICA

E o que dizem os médicos? A coordenadora-técnica do Hospital e Maternidade Santa Joana, Helenilce de Paula Fiodi Costa, diz que é preciso tomar cuidado com o risco de contaminação na elaboração do picolé de leite materno.

Além da questão da higiene e armazenamento, Helenilce recomenda que o sorvete de leite materno seja oferecido apenas para bebês com idade acima de seis meses.

“Se, hipoteticamente, for feito em condições adequadas pode ser uma opção para crianças maiores de seis meses. “Nas menores poderá haver lesão das mucosas e língua pelo frio.”

A médica dá uma sugestão de troca para as mães. “Uma opção seria o congelamento de sucos de frutas com o cuidado de evitar o contato contínuo da superfície gelada com a língua e mucosas para evitar a lesão pelo frio.”

 photo 19jan2015---beatriz-filha-de-vanessa-rodrigues-experimenta-o-peitole-pela-primeira-vez-no-inicio-a-pequena-achou-estranho-ma_zpsi6g2953t.jpg

CUIDADOS COM A COLETA E ARMAZENAMENTO NO VERÃO

Helenilce diz que os cuidados são os mesmos que as mães devem ter em qualquer época do ano.

-Banho diário;

-Ambiente climatizado ou bem ventilado;

-Antes da ordenha: lavar bem as mãos com água e sabão e separar pelo menos 2 frascos de vidro com tampa esterilizados;

-Passar uma gaze ou algodão embebido em água fervida morna ou fria nas aréolas;

-Ao iniciar a ordenha desprezar os primeiros jatos de leite;

-Esgotar uma mama e colocar o conteúdo no 1º frasco e levar imediatamente ao refrigerador domestico (0 a 4ºc) colocar no fundo da geladeira e não colocar na porta. esgotar a 2ª mama e colocar o conteúdo no 2º frasco e levar ao refrigerador;

-No refrigerador o leite deve ser utilizado em até 48h. no freezer domestico deve ser utilizado em até 15 dias (após retirar do freezer o leite deve descongelar naturalmente em ar ambiente, e desprezar as sobras);

-As bombas manuais para extração de leite devem ser lavadas com água e detergente e ser esterilizadas.

 POR FABIANA FUTEMA
Fonte:http://maternar.blogfolha.uol.com.br/2015/01/19/maes-recorrem-ao-peitole-para-refrescar-bebes-e-aliviar-incomodo-da-denticao/


Compartilhe este post
Pin It
O filme é uma homenagem do diretor Tyler Perry as mães
solteiras, ”O Clube das Mães solteiras”  
reúne cinco mães solteiras de origens muito diferentes, cujo único ponto
em comum é ter seus filhos na mesma escola.
Mas quando seus filhos são pegos fumando e pintando as
paredes da escola com grafite, as mães precisam organizar um leilão beneficente
para evitar a expulsão dos adolescentes.
E é ai que elas se conhecem são mães diferentes com
problemas diferentes e todas solteiras , assistir o filme e cada situação  que cada mãe tinha com os filhos me
emocionava, somos mulheres e guerreiras e aguentamos tantas coisas, da onde vem
tanta força assim pensava eu assistindo o filme, as lágrimas vinha aos olhos a
luta dessas mães para dá aos filhos o melhor que podia, mesmo errado e achando
que era o melhor, descobriram aonde erravam e começaram a ser flexíveis, dando
prioridade e valor ao tesouro que é ter um filho mesmo sendo sozinhas.
 photo single-moms-club_zps039b8115.jpg

O filme me fez enxergar que mesmo sendo mães erramos e
precisamos sim cuidar de nós, pois se não cuidarmos de nós priorizando as
coisas na vida, jamais poderemos cuidar de ninguém, o trabalho é importante, o
cuidado com o corpo, a vida social, um tempo para você, sim isso se torna um
conjunto ao centro  da família nada disso
precisa parar , e sim tomar um lugar adequado em nossas vidas, notei que a
maior das lições que aprendi foi que necessito arranja um tempo pra mim, nessa
minha jornada de mãe e não me anular como mulher, cuidar da pele, dos cabelos
das unhas, e jamais me anular novamente.

Relato do diretor do filme:

Perry, roteirista, diretor, produtor e intérprete em todos
os seus filmes, escreveu “The Single Moms Club” pensando em sua tia,
que criou quatro filhos sozinha.
“Nunca teve um dia de licença doença e nunca pediu nada
a ninguém”, relata.
“Esta é a minha homenagem a ela e a todas as mães
solteiras”, disse. “Mas vamos ser claros, isso não é um filme do tipo
‘Pobre de mim, meu Deus, eu sou uma mãe solteira!’. Este é um filme sobre as
mulheres que fazem a coisa certa para os seus filhos, e vencem”.
“Eu amo escrever para as mulheres, porque elas não têm
medo de ser vulneráveis, de rir e chorar. Sim, eu prefiro escrever para elas do
que para os homens”, disse.
Mamães lindas super indico esse filme, eu amei, espero que
gostem. Aqui aonde assistir o filme online 


Compartilhe este post
Pin It
Filhas-uma-Inundacao-de-Amor.jpg

Minhas Filhas uma Inundação de Amor na minha vida, uma vez li uma frase que ressaltava que o maior amor do mundo não é dos pais pelos filhos, mas sim o dos filhos, quando eles são pequenos, pelos pais. Não quero discutir aqui a veracidade desta afirmação, até porque nem sei se vem ao caso ficar medindo quem tem o amor maior do mundo… Mas se você têm filhos pequenos, você com certeza já passou por várias situações em que as demonstrações de amor dos seus filhos por você foram de cortar o coração.

Interessante é que no começo, assim que eu virei mãe, eu não me dava tanto conta disso. Acho que minha visão estava ofuscada com o amor que eu sentia por elas e era difícil perceber qualquer outra coisa que não fosse o meu próprio peito explodindo. Mas ultima mente toda hora acontece alguma coisa que me lembra do quanto elas mim amam. E aí sinto uma “nostalgia antecipada” pois sei que vou sentir falta disso quando minhas filhas crescerem. Claro, que no futuro a gente continua amando os nossos pais. Mas é um outro amor, é diferente do amor puro, inocente e até meio cego que as crianças têm pela gente.

 Sempre quis ficar junto a  minhas filhas pois amar é querer estar junto, penso assim, pois nada faz minhas filhas mais felizes do que eu passar tempo com elas. Não estou falando de passar tempo, apenas estando ali, mas dedicar tempo mesmo.Brincar, pular, abrir um livro, contar história, conversar sobre o que estamos vendo. Meu filha Isa, de 1 ano e 4 meses, toda vez que quer algo me pega pela mão e me leva e me mostra exatamente o que ela quer   fico emocionada com o simples gesto dela, é como se ele tivesse ganhado na loteria.E não e diferente com minha filha Isa 10 anos que em cada momentos especias como aniversário me faz uma cartinha a punho e para todos da família, são momentos em que ele vai me mostrar “eu te amo mamãe”.

Todos os meus dias, várias vezes por dia, minhas filhas me inundam com este amor. O amor que um dia vai se transformar e vai deixar saudades. É tanto trabalho ter filhos pequenos. A gente passa por momentos tão desequilibrados. Normais, claro… afinal somos seres humanos, ficamos cansados, dormimos pouco, não temos tempo para nós. Mas seja lá que o que esteja acontecendo, eles estão sempre à nossa espera. Os olhinhos atentos nos observando, as mãozinhas gordinhas querendo nos tocar, a disposição infinita para conversar.

Que eu consiga equilibrar a logística, o trabalho, as preocupações com o futuro para não deixar de aproveitar o presente. Se o que importa de verdade na vida é o amor, então o momento que estou vivendo agora – cheia de olheiras e descabelada –  é um dos capítulos principais da história da minha existência. 
 photo frase-como-e-bom-morrer-de-amor_zps7f0a4c3c.jpg

Compartilhe este post
Pin It