beijar a boca do bebê
Entrei num dilema aqui em casa, beijar ou não a boca dos bebês, pois beijar é um ato normal e cotidiano que realizamos muitas vezes durante o dia para saudar um conhecido, para nos despedirmos de nosso esposo antes de ir trabalhar, como cura para uma ferida de uma criança ou como mostra de carinho. Costumamos dar beijos no rosto e às vezes chega até ser uma expressão tão rápida e quase banal que os nossos lábios não conseguem tocar a pele da outra pessoa. Mas há outros beijos que damos na boca, normalmente no nosso esposo e em muitos casos nos nossos filhos. O que você acha de beijar a boca dos bebês?

Por que não deveríamos beijar os bebês na boca?

Beijo na boca dos bebês. Sim ou não?

Beijar na boca dos nossos filhos é um ato muito comum em muitas famílias, um costume que acontece de forma natural, como quem dá um beijo no rosto.li na net que pode ocorrer de o resfriado serem passado de um para o outro sistematicamente, durante um duro inverno ai deve se tomar hábitos mais assépticos.

Essas são as teorias contra o beijo na boca das crianças:

– A razão principal de quem acredita não ser correto, é médica: creem que é um ato que pode transmitir doenças ao bebê tais como gripe, resfriado ou mais graves como a mononucleose.
– Para outras pessoas é inaceitável dar um beijo na boca de uma criança, ainda que seja seu filho, já que acreditam que está relacionado com uma “conduta sexual”, reservada apenas para casais.
– À medida que as crianças vão crescendo não é correto continuar com o costume, já que por um lado poderia ser objeto de gozações na escola ou a criança poderia confundir esse costume e tentar repetir com seus amigos.

Essa é a teoria principal a favor de beijar o bebê na boca:

– É um ato de carinho e amor sem nenhuma conotação, que cria um vínculo mais próximo entre pais e filhos. Não tem nenhuma conotação sexual ou seja, só é a expressão do amor entre pais e filhos. Abraçar e beijar crianças é normal para um bom desenvolvimento emocional.

E você, o que acha?

Compartilhe este post
Pin It

Crosta Láctea Você Sabe O Que é ?

 photo Couro-cabeludo-ressecado1_zps079ae1b2.jpg
Crosta
láctea ou dermatite seborréica  são  “caspinhas” na cabeça do bebê são inofensivas.
Mas, como podem causar incômodo como coceiras e irritações são recomendadas
tratá-las o quanto antes.
Tanto a
Isa como a Gabi tiveram esse problema com 1 meses de vida. É muito comum que
ele surja em bebês recém-nascidos e até os 3 anos de idade. Não é contagioso e
nem se produz por falta de higiene.
“A
crosta láctea, também conhecida por dermatite seborréica afeta o couro cabeludo
dos bebês. É uma afecção comum da pele e do couro cabeludo que se apresenta
quando as glândulas sebáceas produzem grande secreção de gordura, causando
escamas, crostas ou caspas brancas meio amareladas, nas áreas mais gordurosas
da cabeça do bebê.”
O
tratamento é super simples. Confira:
– 30
minutos antes de lavar a cabeça do bebê, aplique óleo mineral vende na farmácia
no couro cabeludo com algodão e faça uma leve massagem para que as crostas
desgrudem. Se as crostas estiverem muito grossas, aplique 1 hora antes.

Durante a lavagem, pentei o cabelo do bebê com um pente de dentes suaves, em
todas as direções. Isso vai fazer com que as crostam saiam com mais facilidade.
É importante enxaguar bem a cabeça do bebê, para evitar qualquer resíduo de
produtos.
– Repita
esse procedimento até que as “caspinhas” desapareçam, o que geralmente ocorre
em poucos dias.
Caso não
haja melhora, consulte o pediatra para evitar possíveis complicações.
Beijos!


Compartilhe este post
Pin It