Ansiedade Infantil Como Controlar

  Ansiedade Infantil Como Ajudar Nossos Filhos

Ansiedade
Ansiedade é uma combinação complexa de sentimentos de medo, apreensão e preocupação, geralmente acompanhada de sensações físicas como palpitações, dor no peito e/ou falta de ar. Ansiedade pode existir como uma desordem cerebral principal, ou pode estar associada a outros problemas médicos incluindo desordens psiquiátricas.
A Ansiedade é um sentimento natural tanto na infância como em qualquer outra etapa da vida. Crianças de 8 meses de idade podem apresentar sintomas de ansiedade sempre que se separam dos pais. Isto é normal. Entre os 6-8 anos de idade, a ansiedade se volta para o desempenho escolar e o relacionamento com os coleguinhas. Crises de ansiedade também podem ocorrer quando a criança passa por mudanças significativas como troca de escola ou de casa, falecimento de entes queridos, chegada de novos irmãozinhos, separação dos pais e etc.
Seja uma porta aberta.
Não julgue: ajude. Crianças excessivamente ansiosas precisam de apoio e expectativas positivas, mas só irão procurar sua ajuda se tiverem certeza de que não serão hostilizadas ou ridicularizadas. Cobre disciplina na mesma medida em que você demonstra seu afeto, e certifique-se de que sua disciplina está sendo passada em um formato motivador.
Retire o excesso de peso.
Uma criança de 11 anos ainda é apenas uma criança, não a miniatura do adulto que você gostaria que ela fosse. Não cometa o erro (terrível) de impor seu nível de maturidade às responsabilidades dela.
O excesso de carga também diz respeito às estratégias de comportamento utilizadas por muitos pais. “A criança tem medo de escuro? Tranque-a sozinha em um quarto sem luz por alguns minutos, ela verá que nada de mal acontece”. Excelente! Ao bater de frente dessa forma, você acabou de descobrir uma nova maneira de corroer o elo de confiança entre vocês.
O mais recomendável é liderar pelo exemplo. Se a criança fica aterrorizada com cachorros, você não precisa atravessar a rua toda vez que avistar um. Segure a mão da criança, mantenha tranquilamente seu rumo e passe a mensagem correta: nada de fobias. Não confronte, mas não evite. O segredo em todas as situações é combinar Bom Senso com Perseverança, contando sempre com a ajuda do tempero mais precioso da educação, o Tempo.

Como identificar a ansiedade na criança

A criança ansiosa não se concentra no momento atual. Até os 6 anos, a insegurança é a principal característica. Ela tem medo de tudo e dificuldades em passar as etapas do seu desenvolvimento, como largar as fraldas ou a chupeta.
Em idade escolar, o desempenho nos estudos pode ser prejudicado, por não conseguir acompanhar as explicações do professor. Quando está brincando, ela pode atropelar a colega. Se o jogo é de tabuleiro, por exemplo, ela quer jogar a todo o momento e não sabe esperar sua vez. Se for menor, e o brinquedo é de encaixar, pode não conseguir realizar a atividade da maneira que gostaria.
É claro que, se o seu filho está em época de provas, esperando por uma viagem ou festa de aniversário, ele vai ficar ansioso, mas são situações que não trarão danos para a sua vida. Vale o bom senso dos pais para observar a criança. O problema é quando o sono, a alimentação, o desenvolvimento educacional e social da criança são afetados.

Como os pais podem ajudar os filhos

– Ensine seu filho a respirar bem devagar, para que ele se acalme;
– Ao contar uma história, se perceber que ele está disperso, chame-o com carinho e o envolva novamente no enredo;
– Converse com seu filho. Se perceber uma mudança no comportamento, ajude-o a se expressar, a nomear o que está sentindo;
– Ofereça saídas práticas. Se estiver muito ansioso por causa de um evento, ajude-o a se distrair, sem fazer comentários sobre seu comportamento. Se estiver comendo muito rápido, peça que acompanhe o seu ritmo;
– Proponha atividades físicas. Elas relaxam e colocam a criança no presente.
Se perceber que a rotina e o desenvolvimento da criança estão prejudicados por conta da ansiedade, procure ajuda de um profissional.

Comentários
9
Compartilhe este post
Pin It
Antes de ser mãe, acho que não sabia o que era ter responsabilidade,um filho te dá muitas responsabilidade e habilidades incríveis, nada se compara em ser mãe, e o que vem junto com as mães além disso é o cansaço, ele parece que nunca some e para amenizar seu cansaço e manter uma rotina sadia com o nascimento e rotina dos pequenos vou dá algumas dicas que vem funcionando comigo até hoje.

 Dicas para aliviar o cansaço da mãe

MÃE

 

Tire a soneca com seu filho

Uma coisa que aprendi na segunda gestação foi dormir com minha filha quando ela tira a soneca dela, pois assim minhas forças são renovadas e consigo me manter durante o dia de mamadas, trocas e banhos.

Dividir a tarefa com o marido

Tudo bem você deve ter pena do marido pois ele trabalha o dia todo e chega cansado, eu sei disso, mas o pai tem que participar, segurar o baby para você tomar um banho,ele dar a mamada ou banho no baby só isso pode aliviar o stress do seu dia, não sei se já aconteceu com você, mãe, um simples fato de eu poder tomar um banho direito, ou o marido dá banho na baby já me deixa feliz.

Aceitar ajuda

Seja de quem for pai, mãe, irmã, avó, sogra….Ofereceu ajuda aceite isso também vai te faze muito bem, e todo precisam de ajudar, ninguém faz nada só o tempo todo.

Tirar 1 hora do dia pra você

Seja um banho, fazer as unhas, ler um livro, fazer algo só pra você levanta a autoestima e te mantém feliz.

Procure ter o seu tempo de sono

Um adulto tem que dormir 8 horas de sono tranquilo para manter um bom equilíbrio, como mãe é meio complicado mais você pode dividir com a soneca da tarde.

Ser mãe me ensinou e vem me ensinado muitas coisas e disso venho fazendo proveito, ter filhos é um curso intenso, aonde estamos sempre aprendendo.

 

 


Comentários
15
Compartilhe este post
Pin It
ALIMENTAR

Meu Filho Não Quer se Alimentar Direito

As crianças precisam se alimentar bem né mesmo, mais de uns dias para cá a minha filhota não quer comer mais nada, se come uma colher é muito, levo a metade da minha manhã na cozinha fazendo uma comida saudável e balanceada e minha pequena muitas vezes não quer nem experimentar , quantas mamys não passaram e se identificam nessa situação.Você faz aviãozinho, monta uma carinha engraçada no prato, usa toda a sua lábia, inventa histórias, promete mundos e fundos se ele provar… mas seu filho se mantém teimoso, e não tira a mão da frente da boca.

Se forçar, piora, ele cospe tudo, faz que vai vomitar e ainda abre o berreiro.O que acaba acontecendo é você acaba trocando o jantar por um iogurte, fica frustrada e o pequeno ainda se alimenta mal. O que fazer?

Para começar em 80% dos casos as crianças negam se alimentar direito é um comportamento normal, falta de apetite pode acontecer por diferentes motivos até para chamar sua atenção, por que os filhos sabem a importância que os pais dão a alimentação.

O que fazer para que seu filho venha se alimentar bem

*Não deixe isso virá um habito;
* Não faça mistura de alimentos, cada verdura, cada fruta por vez;
*Seja o exemplo, se seu filho vê você se alimentar direito e saudável ele vai querer fazer o mesmo;
*Aposente de vez o aviãozinho, a hora de comer é hora de comer nada de distrações;
*Se um alimento foi recusado substitua por um do mesmo grupo nutricional;
*A criança come primeiro com os olhos então fazer comidinha e lanches divertidos é uma ótima opção;
*Instabilidade alimentar é normal pode variar assim como o humor, então recompense o valor nutricional no dia seguinte;
*Resista as birras e imponha limites, mantendo horários fixos para as refeições;
*Se Alimentar não é recompensa nem castigo, nada de troca “se”;
*Não ceda a chantagem da greve de fome;

Se vocês já estão no caminho errado por ceder o que muitas vezes eu já cedi, ou conseguiu que seu filho comece mais não a alimentação saudável que ele necessita comer, mesmo cansada invista em novas receitas, use o truque das três garfadas, leve seu filho para a cozinha com você e deixe claro que ele pode até não gostar, porém para ele dizer que não gosta tem que experimentar primeiro.

Para que seu filho venha se alimentar direito depende muito de você uma delas é nunca desistir e a outra é bem simples não oferecer bobagens.

ALIMENTAR

Meu Filho Não Quer se Alimentar Direito


Comentários
18
Compartilhe este post
Pin It

Alimentos que as Grávidas Não Podem Comer

Quando estiva grávida das meninas, tinha muito medo de comer alguns alimentos como ovos mal passado e salsicha crua, pois me falaram que não podia, na época nem fui olhar, mais preferir prevenir do que remediar, mais será mesmo que tem restrições para as grávidas, e em busca dessa verdade fui pesquisar.

Sim tem alimentos que podem ser nocivos a saúde das mamães e bebês e é melhor evitar, alguns nutricionista  cortam do cardápio das gestantes alguns alimento não para impedir delas comerem e sim para terem cuidados redobrado evitando assim qualquer problema durante os nove meses.

Trago alguns alimentos para deixar fora da geladeira e dispensa das gestantes

 photo file-tilapia_zpsrvskqlh7.jpg

Carnes e peixes crus

A carnes brancas, e vermelhas tem proteínas e tem que está no cardápio das grávidas, porém esses alimentos consumidos cruos ou mal passadas não prejudica o desenvolvimento do bebê. O problema é a possível contaminação por bactérias e protozoários, que depende da armazenagem e da procedência.
 photo mi_972318157724318_zpswtbaiygq.jpg

Cafés e bebidas energéticas

Bebidas estimulantes,  no caso o café, causam o aumento da frequência cardíaca em todo mundo que as consome. Porém, as gestantes já possuem essa frequência alterada, devido ao desenvolvimento do feto e à maior circulação de sangue dentro do corpo. Investir neste tipo de bebida pode contribuir para que a pressão arterial vá às alturas, o que pode ser prejudicial para o desenvolvimento da criança. Além disso, as bebidas energéticas possuem vários conservantes em sua composição. Como não existem estudos que comprovem a segurança total de seu consumo, melhor passar longe!
 photo Cha-Verde-650 - Copia_zpsyy22qxfi.jpg

Chás

Toda a erva pode ter, em grandes quantidades, substâncias prejudiciais, inclusive inflamatórias ou que afetam o trato gastrointestinal, podendo provocar diarreias. Os chás comuns, como erva-doce, camomila e hortelã, podem ser tomados sem preocupação, desde que moderadamente. Chás mate, verde, branco, preto, canela e sene devem ser evitados.
 photo e201Bebida-alcolica-d-mau-hlito - Copia_zpso1svtomf.jpg

Bebidas alcoólicas

O  álcool está associado à malformação fetal. Ele pode ultrapassar a barreira placentária e prejudicar o desenvolvimento do bebê ou evoluir para uma gravidez prematura.
 photo f73510b91889_zpskbvnuhn2.jpg

Embutidos

 Alimentos como presunto, salsicha, salame e mortadela são cheios de conservantes. Todo alimento artificial deve ser evitado, devido à presença dessas e de outras substâncias químicas, como os estabilizantes. “Esses componentes são contraindicados durante a gravidez porque, neste período, o sistema imunológico da mulher se torna mais ativo. Daí que o organismo pode reagir exageradamente aos compostos químicos, o que resultaria em uma alergia.
 photo 53b2cc01f2969_zpsx3hzm0sl.jpg

Ovos

 Mal fritos ou cozidos os ovos trazem bactérias que podem causar  entre complicações no e parto prematuro,sem contar que provoca um grave quadro de diarreia e vômitos. E a gravidez é um péssimo momento para enfrentar uma crise dessas. Mas, você não precisa cortar os ovos do seu cardápio. A dica é consumi-los fritos ou cozidos, desde que a gema esteja dura. E nunca negligencie as receitas que levam ovo cru em sua composição e que, portanto, também podem representar riscos. É o caso das maioneses.
 photo soda1025-e1319633915792_zpssedtojyz.jpg

Refrigerantes

 

Podem causar estufamento gástrico, mas não são proibidas Em casos de gastrite ou refluxo, o problema pode ser intensificado.  E as versões zero e light possuem muito sódio, que podem mexer com a pressão arterial, o que é particularmente prejudicial na gravidez.

Esses alimentos consumidos de maneira exagerada, ou de maneira errada podem sim provocar partos, prematuros e complicações no parto o melhor é mesmo ter cuidados e uma boa alimentação na gravidez.


Compartilhe este post
Pin It